FLUTUAÇÃO POPULACIONAL DE MOSCAS CLEPTOPARASITAS EM ABELHAS SEM FERRÃO, EM JAPARATUBA, SERGIPE, BRASIL POPULATIONAL FLUCTUATION OF CLEPTOPARASITES FLIES ON STINGLESS BEES, JAPARATUBA, SERGIPE, BRAZIL

  • Francisco Marcelo Azevedo Lima Instituto Federal de Sergipe Campus São Cristóvão Curso de Agroecologia
  • Aldine de Oliveira Santos
  • Luciano Santos de Jesus
  • Alba Rafaela de Andrade
  • Talita Guimarães Araújo-Piovezan
  • José Dantas Gusmão-Filho
  • Genésio Tâmara Ribeiro Universidade Federal de Sergipe Campus São Cristóvão Curso de Engenharia Florestal
  • José Oliveira Dantas Instituto Federal de Sergipe Campus São Cristóvão Curso de Agroecologia
Palavras-chave: Forídeo, Abelhas sem ferrão, Uruçu, Mandaçaia

Resumo

Os forídeos (Diptera: Phoridae) são moscas pequenas que parasitam vários grupos de invertebrados, possuem ciclo de vida rápido e colônias com grande número de indivíduos, na busca de alimentos estão sempre associados a colônias de insetos sociais. As abelhas sem ferrão são próximas geneticamente o que favorece a transmissão de patógeno. A maioria das espécies de forídeos são parasitas principalmente as espécies Megaselia scalans e Pseudohypocera kerteszi, que atacam as colônias de abelha sem ferrão principalmente quando estas estão fracas e desorganizadas, como acontece após a transferência de colônias para caixas racionais de criação. Na invasão dos ninhos de abelhas, as fêmeas de forídeos ovipositam nos potes de pólen, nas células de cria com alimento e na lixeira. As larvas são comedouras vorazes dos recursos da colmeia podendo matá-la. Assim é necessário o manejo adequado das colônias pra evitar a infestação pelos forídeos e o controle da infestação quando necessário. Desta forma objetivou-se neste trabalho verificar a flutuação populacional de forídeos em colônias de Uruçu e Mandaçaia, em dois ambientes no município de Japaratuba, Sergipe.  Armadilhas com atrativo (vinagre) foram introduzidas dentro dos ninhos para quantificar os dípteros. Os dados foram relacionados com as variáveis ambientais e estações do ano. Foram capturados 1.078 espécimes, a maior abundância de forídeos ocorreu na estação chuvosa e na zona rural, as colônias mais atacadas foram as recém transferidas e divididas.
Publicado
2019-08-08
Seção
Artigo (Original, Técnico, Revisão)