A assembleia de peixes em um riacho tropical e os recursos alimentares explorados sob influência de mata ripária com presença de Eucalyptus grandis

  • Ariane Almeida Vaz
  • Marta Severino Stefani
  • Welber Senteio Smith

Resumo

Apesar do pouco conhecimento da complexidade das interações entre peixes e a zona ripária, a degradação da vegetação ripária devido a mudanças no uso do solo, é constantemente referenciada nos estudos como determinante na seleção da biota de riachos. Estudos realizados em zonas temperadas têm demonstrado que a substituição da floresta nativa por monoculturas de eucalipto gera oscilações dos regimes de luz e temperatura nos rios, eventual assoreamento e mudanças dos padrões de colonização da comunidade de invertebrados bentônicos devido a propriedades físicas e químicas das folhas. As relações entre a zona ripária e a biota aquática são de extrema importância e ainda é grande a carência de trabalhos para a região tropical em que os efeitos da integridade da vegetação ripária proveniente de espécies exóticas como o eucalipto tenham sido relacionados à assembleia de peixes. Este trabalho teve como objetivo verificar como a assembleia de peixes do riacho estudado está estruturada e quais recursos alimentares são explorados em função da vegetação ripária sob influência de Eucalyptus grandis. Os resultados mostraram que córrego amostrado sofre com a degradação da vegetação ripária e assoreamento. Foram coletadas 10 espécies de peixes pertencentes a cinco ordens e oito famílias. Com relação à dieta das espécies foram descritas três guildas (onívora, insetívoras e detritívora) e a maioria dos itens é autóctone, o que é esperado para riachos perturbados.

Publicado
2018-06-01