A POTÊNCIA DA MEMÓRIA DAS MULHERES NA CONSTRUÇÃO DAS REPORTAGENS EM QUADRINHOS: A HISTÓRIA “OS PESADELOS DE GUANTÁNAMO”

Resumo

O jornalismo em quadrinhos vem sendo evidenciado nos últimos anos ao se apresentar como possível gênero híbrido que viabiliza a proteção de identidades no relato de crimes. Este artigo busca entender como foi feita a representação das mulheres na reportagem em quadrinhos “Os pesadelos de Guantánamo”, disponível no site da Agência Pública de Jornalismo Investigativo. Objetiva-se compreender como os testemunhos, enquanto artifícios de memória, podem ser (re)significados através dessas histórias em quadrinhos, que possuem como fio condutor o contexto de conflitos, guerras e violência. Para tanto, vamos examinar esse material, buscando por estratégias narrativas que conseguiram expor e reconstruir as histórias das personagens, baseadas em entrevistas. Para a análise, utilizaremos a metodologia de Análise Crítica da Narrativa, de Luiz Gonzaga Motta (2013), e os referenciais teóricos de jornalismo em quadrinhos, de narrativas híbridas e de conceitos relacionados à importância da memória e do testemunho.

Biografia do Autor

Christina Ferraz Musse, Universidade Federal de Juiz de Fora

Professora Titular no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Juiz de Fora, Presidente da rede Alcar de pesquisa, líder do Grupo de Pesquisa (CNPQ) Comunicação, Cidade e Memória. 

Cláudia de Albuquerque Thomé, Universidade Federal de Juiz de Fora

Professora no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Juiz de Fora. Líder do Grupo de Pesquisa (CNPQ) Narrativas Midiáticas e Dialogias. 

Laura Sanábio Freesz Rezende, Universidade Federal de Juiz de Fora

Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Juiz de Fora. Membro do Grupo de Pesquisa (CNPQ) Narrativas Midiáticas e Dialogias. 

Talita Souza Magnolo, Universidade Federal de Juiz de Fora

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Juiz de Fora, bolsista Capes, membro do corpo editorial do jornal da Alcar, membro da Comissão de Audiovisual do PPGCOM da UFJF e pesquisadora do Grupo de Pesquisa (CNPQ) Comunicação, Cidade e Memória. 

Publicado
2020-08-13
Seção
Dossiê: Arte e Gênero