A INVENÇÃO DA FAVELA INDUSTRIAL: PISTAS DA HISTÓRIA, MEMÓRIA E IDENTIDADE DO JACAREZINHO

  • Jonas Abreu Universidade Anhanguera

Resumo

O presente artigo é resultado de pesquisa que investigou a construção da identidade cultural da Favela do Jacarezinho, em meio ao pano de fundo político e econômico do Rio de Janeiro. Utilizou-se o método de pesquisa exploratória com a finalidade de analisar a difusão dos elementos simbólicos que estão associados com a formação da identidade local. Para obter os resultados do estudo foi consultada extensa bibliografia nos campos da Sociologia, Antropologia e História da Cultura, assim como teses, dissertações, relatórios e documentos públicos. Os resultados deste exame apontaram para o desenvolvimento histórico e social da comunidade em três fases: na primeira, descrevemos a fundação e a expansão territorial da favela estimulados pela emergência do republicanismo e o incremento da industrialização na cidade. Na segunda fase, foram analisados os processos simbólicos construídos na favela através da relação dos moradores com as fábricas, o samba, entidades religiosas e movimentos políticos. Na terceira fase, apuramos um cenário disruptivo caracterizado pela decadência do espaço físico, violência institucionalizada e atravessado por fragmentos de cultura globalizada que inseridos em seu ecossistema social fragmentou as possibilidades identitárias da comunidade. Nossa principal hipótese é a de que atualmente a favela do Jacarezinho reproduz um perfil de privação de seus mitos de origem, como acontece nas novas paisagens transnacionais das periferias da América Latina.

Biografia do Autor

Jonas Abreu, Universidade Anhanguera

Mestre em Bens Culturais e Projetos Sociais pela FGV-RJ. Possui especialização em Marketing Estratégico pela Universidade Cândido Mendes e graduação em Turismo pela UniverCidade. Atualmente é coordenador técnico da Faetec Ipanema e professor da Universidade Anhanguera.

Publicado
2020-08-13