GATTACA, UMA EXPERIÊNCIA GENÉTICA

O CINEMA COMO POSSIBILIDADE DE AMPLIAÇÃO DO OLHAR QUANTO AO CORPO E ESTIGMA

Resumo

Neste ensaio, trazemos reflexões possíveis em relação ao filme “Gattaca, Uma experiência genética” (filme norte-americano, produzido em 1997, dirigido por Andrew Niccol), articulando, a partir da obra fílmica, questões do contemporâneo que envolvem o corpo moderno, identidade social e estigma, tendo como objetivo principal demonstrar a potencialidade do cinema enquanto dispositivo pedagógico e cultural para promover reflexões sobre as questões relacionadas ao estigma. Consideramos que produtos artísticos e culturais, a exemplo dos filmes, configuram-se como elementos necessários não apenas a ilustrar temáticas complexas, como as questões pertinentes às múltiplas identidades humanas e às marcas sociais inscritas nos corpos, que geram e explicitam estigmas sociais, como também possibilitam exemplificações, problematizações, reflexões e diálogos no campo educacional e formativo. O ensaio defende a necessidade de mobilizar mais modos de vida por meio da arte no contexto educacional, considerando os múltiplos e diversos olhares das humanidades em um trabalho em conjunto que considere a perspectiva do audiovisual na educação/formação, permitindo ampliar os olhares políticos e estéticos sobre o corpo no contemporâneo.

Biografia do Autor

Maria Edivania Alves dos Santos, Universidade Federal de Sergipe

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Sergipe (PPGED/UFS) 

Cristiano Mezzaroba, Universidade Federal de Sergipe

Licenciado em Educação Física e Ciências Sociais, ambos pela UFSC, com mestrado em Educação Física/UFSC e Doutorado em Educação/UFSC. Professor DEF/CCBS/UFS  e do Programa de Pós-Graduação em Educação/PPGED/UFS. Coordenador do GEPESCEF - Grupo de Estudos e Pesquisas Sociedade, Cultura e Educação Física.

Fabio Zoboli, Universidade Federal de Sergipe

Pós-doutor em Educação do Corpo pela Universidad Nacional de La Plata (UNLP/Argentina). Doutor em Educação pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Professor do Programa de pós-graduação em Educação da Universidade Federal de Sergipe (PPGED/UFS). Membro do grupo de pesquisa “Corpo e política”. Aracaju – SE, Brasil.

Publicado
2022-02-15
Seção
Dossiê “Nossos Corpos de Todos os Dias" (Parte 02)