ENTRE GRADES: O CORPO, A DOR E O PODER

Resumo

Fang Lijun, um dos mais bem reputados artistas do movimento Cynical Realism, amplamente conhecido pelas suas representações de esculturas de cabeças, apresentou em Nova Iorque (2008-2009), na Galeria Arario, uma inquietante representação de esculturas de bonecos gordos e carecas enjaulados a que deu o título de 9/11. O seu trabalho denota uma posição crítica face aos sistemas de poder instituídos, nomeadamente aos modelos de vigilância. As representações do corpo são igualmente objeto de análise e reflexão, sendo o objetivo principal do presente artigo questionar acerca dos seus propósito e significados simbólicos mais recônditos. O presente estudo justifica-se pela sua originalidade face ao trabalho artístico de Lijun e às mensagens que pretende deixar ao Ocidente acerca do poder, do medo e do corpo.

Biografia do Autor

Natália Ramos, Universidade Aberta de Portugal

Doutorada em Psicologia pela Universidade de Paris V, Sorbonne. Professora Associada da Universidade Aberta, Departamento de Ciências Sociais e de Gestão, Lisboa, Portugal. Coordenadora Científica do Centro de Estudos das Migrações e das Relações Interculturais/CEMRI/UAb.                       

Publicado
2022-02-15
Seção
Dossiê “Nossos Corpos de Todos os Dias" (Parte 02)