Edison Carneiro, o negro da cor trigueira: inserção, audácia e invisibilidade

  • Evelyn Marcele Ribeiro Mota

Resumo

Este artigo dedica-se a demonstrar a inserção de um autor negro, baiano, pouco
reconhecido em seu meio, empenhado em adentrar no preliminar campo das ciências
sociais no Brasil em meio ao contexto de poucas oportunidades, trabalhos e referências.
Edison Carneiro (1912-1972) contribui para esse campo a partir de pesquisas sobre
folclore e religiões de matriz africana, investigando dos terreiros às escolas de samba e
conseguindo, mesmo que preliminarmente, colaborar para o entendimento desse
universo. Relegado a vender seus estudos aos jornais, tornou-se um pesquisador de
poucas teorias e que abriu muitas portas para a mudança de paradigma destas ciências dos
anos seguintes.

Publicado
2020-06-15