Como um vilão brasileiro dos quadrinhos influenciou a criação do Batman: A Garra Cinzenta ataca!

  • Valéria Aparecida Bari Universidade Federal de Sergipe
Palavras-chave: História em Quadrinhos - Brasil, A Garra Cinzenta, Renato Silva, Francisco Armond, Helena Ferraz

Resumo

Analisa a “A Garra Cinzenta”, título de história em quadrinhos brasileira, publicada em mídia jornalística entre os anos 1937 e 1939, cujas qualificações da Arte (novidade, recursos semiológicos, narrativos e estéticos) levou à publicação internacional e gerou influências que se perpetuam no universo de produção internacional mainstream, como a criação do Batman. Como características de criação, tem a particularidade de ser supostamente uma das mais importantes produções femininas do gênero, pois as pesquisas indicam que a autoria de Francisco Armond é pseudônimo da jornalista e poetisa Helena Ferraz. Quanto ao quadrinhista Renato Silva, foi considerado um profissional eclético e consagrado à época da publicação. Por meio da análise inicial, será elaborado estudo contrastivo, verificando as principais influências da Garra Cinzenta, na produção de histórias em quadrinhos mainstream nos setenta anos
posteriores à publicação.

Biografia do Autor

Valéria Aparecida Bari, Universidade Federal de Sergipe

Doutora em Ciência da Informação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo
(ECA/USP) – Docente da Universidade Federal de Sergipe (UFS) e Pesquisadora Líder do PLENA: Grupo de
Pesquisa em Leitura, Escrita e Narrativa: Cultura, Mediação, Apresentação Gráfica, Editoração e Manifestações.
Aracaju, Sergipe, Brasil.

Referências

ALMEIDA, Jaqueline Moraes de. Madames e mocinhas em revista: corpo, gênero e moda em A Cigarra (1940-1955). 2015, 197 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas (IFCH/UNICAMP). Campinas, 2015. Disponível em:

<http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=000962812>. Acesso em 18/02/2017.

ALMEIDA, Jaqueline Moraes de. “A ‘favor’ das mulheres, mas nunca ‘contra’ os homens”: as trajetórias de Elza Marzullo e Helena Ferraz De Abreu. Simpósio Nacional de História: Lugares dos historiadores – velhos e novos desafios (XXVIII ANPUH). Anais [...]. Florianópolis: UFSC, 27 a 31 de julho de 2015. Disponível em:

<http://www.snh2015.anpuh.org/resources/anais/39/1428365359_ARQUIVO_Afavordasmulheresmasnuncacontraoshomens-Anpuh2015.pdf>. Acesso em 25 de abril de 2017.

ARMOND, Francisco ; SILVA, Renato. Garra Cinzenta: 1937-1939. São Paulo: Conrad, 2011.

ASSASSINATOS DA RUA MORGUE, OS. In: WIKIPÉDIA, a enciclopédia livre. Flórida: Wikimedia Foundation, 2016. Disponível em:

<https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Os_Assassinatos_da_Rua_Morgue&oldid=44558

>. Acesso em: 22 jan. 2016.

BARI, Valéria Aparecida. O potencial das histórias em quadrinhos na formação de leitores: busca de um contraponto entre os panoramas culturais brasileiro e europeu. 2008. 248 f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação). São Paulo: Escola de Comunicações e

Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP). Disponível em:

<http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/27/27151/tde-27042009-121512/pt-br.php>. Acesso em 25/06/2016.

BATMAN: a máscara do fantasma. Título Original: Batman: Mask of the Phantasm. Direção: Bruce W. Timm; Eric Radomski. Produção: Tom Ruegger; Michael E. Uslan; Benjamin Melkiner; Arnon Milchan. Roteiro: Alan Burnett; Bob Kane. Los Angeles: Warner Brothers. 25 dez. 1993. 1 DVD (76 min.), 4x3 fullscreen, colorido.

BLACK TERROR. WIKIPÉDIA, a enciclopédia livre. Flórida: Wikimedia Foundation, 2017. Disponível em:

<https://en.wikipedia.org/w/index.php?title=Black_Terror&oldid=786235110 >. Acesso em:

jun. 2017.

CAGNIN, Antônio Luiz. Os quadrinhos, linguagem e semiótica: um estudo abrangente da arte sequencial. São Paulo, Criativo, 2016.

CLARK, Alan ; CLARK, Laurel. Comics: Uma história ilustrada da B.D. Sacavém: Distri Cultural, 1991.

COCO CHANEL. In: WIKIPÉDIA, a enciclopédia livre. Flórida: Wikimedia Foundation, 2017. Disponível em:

Cajueiro, Aracaju, v. 1, n. 2, p.106-179, maio/nov. 2019. 177

<https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Coco_Chanel&oldid=49094846>. Acesso em: 21

jun. 2017.

COSER, Raquel. O mistério da Garra Cinzenta. O Estado de São Paulo: Cultura. 11 de julho de 2011, 15:23 h., São Paulo: OESP, 2011. Disponível em:

<http://cultura.estadao.com.br/blogs/a-biblioteca-de-raquel/o-misterio-do-garra-cinzenta/>. Acesso em 20/05/2017.

DOURADO, Francisco. Quem escreveu "A Garra Cinzenta"? E o nascimento de um projeto. HQ Retrô. Fortaleza, 13 março 2017. Disponível em:

<http://agaqueretro.blogspot.com.br/2017/03/quem-escreveu-garra-cinzenta-e.html>. Acesso em 23 jun. 2017.

EISNER, Will. Quadrinhos e arte sequencial. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

FREUD, Sigmund. O mal-estar na civilização. Rio de Janeiro: Companhia das Letras/ Penguin Books, 2011. ISBN 9788563560308.

GARRA CINZENTA, A. In: WIKIPÉDIA, a enciclopédia livre. Flórida: Wikimedia Foundation, 2017. Disponível em:

<https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=A_Garra_Cinzenta&oldid=48528179>. Acesso em: 12 abr. 2017.

GOMBRICH, Ernst H. Arte e ilusão. São Paulo: Martins Fontes, 1986.

GOMBRICH, Ernst H. Sobre a interpretação da obra de arte: O quê, o porquê e o como. Cadernos de Arquitetura e Urbanismo. Belo Horizonte: PUC Minas, v. 12, n. 13, p. 11-26, dez. 2005.

GONÇALO JÚNIOR. A Guerra dos Gibis: a formação do mercado editorial brasileiro e a censura aos quadrinhos: 1933-64. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

GONZALEZ, Rodrigo. Dez momentos mais importantes das HQs. CQB: Quadrinhos Brasileiros. 2 dez. 2007. Disponível em:

<https://web.archive.org/web/20090219215529/http://geocities.com/quadrinhos_cqb/novissim

a1.htm>. Acesso em 25 de jun. 2017.

GOULART, Ron. Comic book encyclopedia: the ultimate guide to characters, graphic

novels, writhers, and artists in the comic book universe. New York: Harper Collins, 2004.

GOULART, Ron. Comic book culture: an illustrated history. Portland: Collectors Press, 2000.

GROENSTEEN, Thierry. O sistema dos Quadrinhos. Nova Iguaçu: Marsupial, 2015.

IANONNE, Leila Rentroia; IANONNE, Roberto Antonio. O mundo das histórias em quadrinhos. São Paulo: Editora Moderna, 1994. (Coleção Desafios)

KICK, Russ (org.) Cânone Gráfico: clássicos da literatura universal em quadrinhos - desde a Epopeia de Gilgamesh até Shakespeare e As Ligações Perigosas. São Paulo: Barricada, 2014. (Coleção Cânone Gráfico, v. 1)

LANDUCCI, Alexandre. Mais de 20 anos desde o melhor filme do Batman: um filme para sacramentar um universo. Metagene: Filmes e séries. 06 de abril de 2015. Disponível em:

http://www.metagene.com.br/mais-de-20-anos-desde-o-melhor-filme-do-batman/ >. Acessoem 25 jun. 2017.

MCCLOUD, Scott. Desenhando quadrinhos: os segredos das narrativas de quadrinhos, mangás e graphic novels. São Paulo: M. Books, 2008.

MODUS OPERANDI. In: WIKIPÉDIA, a enciclopédia livre. Flórida: Wikimedia Foundation, 2017. Disponível em: <https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Modus_operandi&oldid=49104050>. Acesso em: 22 jun. 2017.

MONTEIRO, Filipe. Crítica: Batman – A máscara do Fantasma. Plano Crítico. Publicado em 6 jan. 2015. Disponível em: < http://www.planocritico.com/critica-batman-a-mascara-dofantasma/>.

Acesso em 25 de maio de 2017.

MOYA, Álvaro de. Vapt-Vupt. São Paulo: Clemente e Gramani, 2003.

ROVIN, Jeff. The Encyclopedia of Super Villains. New York: Facts On File Publications, 1987.

SAMPIERI, Roberto Hernández ; COLLADO, Carlos Fernández ; LUCIO, Maria Del Pilar Baptista. Metodologia da Pesquisa. Porto Alegre: Penso, 2013.

SHERLOCK HOLMES. In: WIKIPÉDIA, a enciclopédia livre. Flórida: Wikimedia Foundation, 2017. Disponível em:

<https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Sherlock_Holmes&oldid=48917561>. Acesso em: 29 mai. 2017.

SILVA, Diamantino da. Quadrinhos dourados: a história dos suplementos no Brasil. São Paulo, SP: Opera Graphica, 2003.

SIMS, Chris. Lord Death Man of ‘Bat-Manga’ Gets Resurrected for ‘Batman, Inc.’. Comics Alliance. 20 set. 2010. Disponível em: < http://comicsalliance.com/lord-death-man-batmaninc/>. Acesso em 20 abr. 2015.

SIQUEIRA, Thiago. Batman: a máscara do fantasma – críticas. Cinema com rapadura. Postado em 2015. Disponível em: < http://cinemacomrapadura.com.br/criticas/84051/batmana-

mascara-do-fantasma-1993-84051/>. Acesso em 30 abr. 2017.

SOUZA, Maria Ester Vieira de. Leitura: entre proibições, desejos e encantamentos. João Pessoa, UFPB, 2013.

SOUZA, Worney Almeida de. A cidade e seu monstro. In: ARMOND, Francisco ; SILVA, Renato. Garra Cinzenta: 1937-1939. São Paulo: Conrad, 2011. p. 5-25.

TIGRE, Manoel Bastos. Reminiscências: a alegre roda da Colombo e algumas figuras do tempo de antigamente. Brasília: Thesaurus, 1992.

VERGUEIRO, Waldomiro ; SANTOS, Roberto Elísio dos. A Gazetinha e os suplementos de histórias em quadrinhos no Brasil. Imaginário! Paraíba: Grupo de Pesquisa em Humor, Quadrinhos e Games - GP-HQG/UFPB, número 2, dez de 2016. p. 103-124. ISSN 2237-6933.

Disponível em: < http://marcadefantasia.com/revistas/imaginario/imaginario-11-

/imaginario-11/6-A%20Gazetinha%20e%20os%20suplementos.pdf>. Acesso em 18 jun. 2017.

VIANA, Nildo. Quadrinhos e crítica social: o universo ficcional de Ferdinando. Rio de Janeiro: Pensamento Brasileiro/ Editora Azougue, 2013. (Série Invenção e Crítica)

XAVIER, Cristina Levine Martins. Spawn: o soldado do inferno – mito e religiosidade nos quadrinhos. São Caetano do Sul: Difusão, 2004.

ZORRO. In: WIKIPÉDIA, a enciclopédia livre. Flórida: Wikimedia Foundation, 2017. Disponível em: <https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Zorro&oldid=49002172>. Acesso em: 9 jun. 2017.

Publicado
2019-11-11