O leitor de quadrinhos na internet:

alguns apontamentos a respeito do impacto das tecnologias digitais na leitura

  • Maiara Alvim de Almeida Instituto Federal do Rio de Janeiro - IFRJ
Palavras-chave: Histórias em Quadrinhos, Leitura digital, Suportes eletrônicos, Narrativas sequenciais gráficas

Resumo

Esse artigo apresenta considerações a respeito dos impactos causados pelas tecnologias digitais na leitura de histórias em quadrinhos em suporte eletrônico. Com o advento das tecnologias digitais, uma série de mudanças positivas e negativas afetou a maneira como vivemos e nos relacionamos. Após séculos de primazia do suporte impresso para a veiculação de narrativas, a possibilidade de se acompanhar histórias em telas mostra-se cada vez mais presente. No entanto, é possível se questionar até que ponto as narrativas digitais passariam a serem atraentes para todos os públicos ou apenas para parte específica? Além disso, quais seriam os reais impactos da leitura em tela, tanto fisiológicos quanto culturais? Com tais questionamentos em mente,
apresentaremos algumas considerações à respeito do processo de leitura, assim como da relação entre leitores e suas leituras. Ilustraremos nossas considerações com exemplos das obras em quadrinhos "Homestuck e Diário de Vírginia"contando com considerações de alguns pesquisadores da temática.

Biografia do Autor

Maiara Alvim de Almeida, Instituto Federal do Rio de Janeiro - IFRJ

Doutora em Letras pela UFJF. Professora do IFRJ Resende. Membro da ASPAS. LATTES ID: http://lattes.cnpq.br/5107488379786393. Orcid: https://orcid.org/0000-0002-7758-7407

Referências

AARSETH, Espen J. Cybertext: Perspectives on ergodic literature. [S.l.]: JHU Press, 1997.
ALVIM DE ALMEIDA, Maiara. Leitores e autores na era da web 2.0: webcomics, narrativashipertextuais e participação. Tese (Doutorado em Letras) Universidade Federal de Juiz de Fora.Juiz de Fora, 2019. Disponível em: https://repositorio.ufjf.br/jspui/handle/ufjf/10326. Acesso em: 20 jul. 2020.
BARON, Naomi S. Words onscreen: the fate of reading in a digital world. New York: Oxford University Press, 2015.
BOLTER, Jay David. Writing space the computer, hypertext and the history of writing. New Jersey: Lawrence Erlbaum Associates, Publishers, 1991.
CAMPOS, Rogério de. Imageria: o nascimento das histórias em quadrinhos. first. [S.l.]: Veneta, dez. 2015.
CARR, Nicholas. A Geração Superficial: o que a internet está fazendo com os nossos cérebros. Tradução de Mônica Gaglioti Fortunato Friaça. Rio de Janeiro: Agir, 2011. 150 p.
CLÜVER, Claus. Inter textus/Inter artes/Inter media. Aletria: revista de estudos de literatura, Programa de Pós-Graduação em Letras Estudos Literários, Belo Horizonte, v. 14, p. 10 41, jul. 2006. Disponível em: http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/aletria/article/view/1357. Available at: 12 abr. 2020.
DOUGLAS, J. Yellowlees. The end of books or books without end? Reading interactive narratives. Detroit: The University of Michingan Press, 2003.
ECO, Umberto. Apocalípticos e integrados. São Paulo: Perspectiva, 1983 [1965].
FERREIRA, Rogério de Souza Sergio. Literatura em hipertexto: da euforia ao ceticismo. Interdisciplinar-Revista de Estudos em Língua e Literatura, v. 17, 2013. Disponível em: https://seer.ufs.br/index.php/interdisciplinar/article/view/1342. Available at: 12 out. 2020.
FRANCO, Edgar Silveira. Histórias em Quadrinhos e hipermídia: As HQtrônicas chegam à sua terceira geração. In: LUIZ, Lúcio (org.). Os Quadrinhos na era digital. Nova Iguaçu, RJ: Marsupial Editora, 2013.
GROENSTEEN, Thiery. O sistema dos quadrinhos. Tradução de Érico Assis. [S.l.]: Nova Iguaçu: Marsupial, 2015.
HAYLES, Katherine. Literatura eletrônica: novos horizontes para o literário. São Paulo:Global, 2008.
HUSSIE, Andrew. Homestuck. Acesso em 19 de julho de 2020. 2009-2016. Disponível em: www.homestuck.com. Available at: 20 out. 2020.
ISER, Wolfgan. O jogo do texto. In: COSTA LIMA, Luis. (org.) A literatura e o leitor: texto de estética da recepção. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.
JACOB, Alan. The pleasures of reading in the age of distraction. Oxford: Oxford University Press, 2011.
JENKINS, Henry. Cultura da Convergencia. São Paulo: Editora Aleph, 2009.
JOHNSON, Steven. Tudo Que É Ruim É Bom Pra Você: como os games e a tv nos tornam mais inteligentes. [S.l.]: Zahar, 2012. Trad. Sérgio Goes.
MANGUEL, Alberto. O leitor como metáfora: o viajante, a torre e a traça. Tradução de José Geraldo Couto. São Paulo: Edições Sesc SP, dez. 2017.
MURRAY, Janet. Hamlet no holodeck. Tradução de Elissa K. Danzi e Marcelo F. Cozziel. São Paulo: Unesp, 2003.
SILVA, Cátia Ana Baldoino da. O Diário de Virgínia 2010 2016. Disponível em: http://www.odiariodevirginia.com. Available at:14 de feveriro de 2017.
WOLF, Maryanne. Proust and the squid: the story and science of the reading brain. Kindle Edition. New York: Harper perennial, 2007.
Publicado
2021-09-22