O PAPEL ORDENADOR DA MÚSICA NOS RITUAIS DE RELIGIÃO DE MATRIZ AFRICANA

  • Eval Cruz Mestre em Antropologia (NPPA/UFS), graduado em História (UFS).

Resumo

O presente estudo analisa a importância da música como elemento simbólico estruturante dentro do candomblé. O objetivo do estudo é demonstrar elementos presentes nos rituais que não poderiam ser evidenciados de outro modo, senão por meio dela. Neste sentido, pode se verificar que a música está a todo o momento em conexão com o povo de santo, ora como elemento ordenador das cerimônias, ora como elemento ordenador do tempo. Indubitavelmente a música é o elemento que estrutura o ritual – público ou privado –, a partir do qual é possível percebê-la se ligando com outros elementos do culto. Por esse entendimento, evidenciase a partir de estudos como os de Amaral & Silva (1992), Santos (2005), entre outros, que a música se torna importante nesse contexto porque corrobora, ordena e coordena as cerimônias, sendo assim, todos os ritos e ritual religiosos estão apoiados na música e sem ela não haveria ritual. Através do presente estudo podem ser evidenciados valores, modo de vida de um povo e, assim, uma visão de mundo que expressa um contexto religioso particular. Portanto, pode-se afirmar que essa maneira de ser, crer e fazer, representa o ethos de um povo.

Biografia do Autor

Eval Cruz, Mestre em Antropologia (NPPA/UFS), graduado em História (UFS).
Tem experiência na área de História, com interesse em História das Religiões, atuando principalmente nos seguintes temas: cultura, identidade, candomblé, poder e mulher
Publicado
2018-11-12