Memes com viés matemático e suas potencialidades para o ensino de Matemática

Resumo

Apresentamos aqui a experiência da utilização de memes como tema central em uma sequência de aulas de matemática. A investigação tem como objetivo identificar potencialidades dos memes com viés matemático, que circulam nas redes sociais, enquanto recurso pedagógico e elemento motivador no ensino de Matemática. Como fonte da pesquisa, nos valemos de uma intervenção realizada com uma turma do 8º ano do ensino fundamental no município de Barra do Choça/Bahia, que apresentou resultados positivos e enriquecedores quanto a utilização de memes, para o ensino de matemática, possibilitando aos estudantes aguçar habilidades de interpretação, criar múltiplos caminhos como estratégias de resolução, além de tecer conjecturas e rememorar conhecimentos matemáticos com o objetivo de buscar possíveis soluções aos desafios propostos. Potencializando o raciocínio lógico matemático, bem como o pensamento algébrico dos estudantes, desse modo trazendo contribuições significativas para estudos no campo da Educação Matemática. 

Biografia do Autor

Cláudio da Silva Brito, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Mestrando em Ensino ligado ao Programa de Pós-graduação em Nível de Mestrado Acadêmico em Ensino na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia e membro do Grupo de Estudos em Educação Matemática - GEEM/UESB. Possui graduação em Ciência da Computação pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB (2010), Graduação em Matemática pela Universidade do Tocantins (2011) e Pós-graduação Lato Sensu em Metodologia do Ensino de Matemática e Física UNINTER (2012). Professor de Matemática da Prefeitura Municipal de Barra do Choça. Tem experiência na área de Matemática, com ênfase em Ensino de Matemática
Claudinei de Camargo Sant'Ana, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
Possui graduação em Licenciatura em Matemática pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas, PUC-Campinas (1988), em Pedagogia pela Faculdade de Ciências e Letras Plínio Augusto do Amaral, FCLPAA (1990), e especialista em Informática em Educação pela Universidade Federal de Lavras, UFLA (2007), mestrado em Engenharia Mecânica pela Universidade Estadual de Campinas, Unicamp (1995), doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas, Unicamp (2008), em 2010 realizou estágio de pós-doutoramento na Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP/Rio Claro; em 2016 realizou estágio de pós-doutoramento na Université de Limoges Faculté des Sciences et Techniques, Limoges/França. Lecionou em instituições de ensino fundamental, médio e superior. Atualmente é professor Titular da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, trabalha nos cursos de Matemática, Pedagogia e orienta dissertações de Mestrado no Programa de Pós-Graduação Educação Científica e Formação de Professores (PPG-ECFP), no Programa de Pós-Graduação em Ensino (PPGEn). Atualmente é membro da comissão científica da Sociedade Brasileira de Educação Matemática na Bahia, SBEM/Ba. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Matemática, Educação a Distância; atuando principalmente nos seguintes temas: Aprendizagem da Matemática, História do Ensino da Matemática, Tecnologia Informática e Formação de Professores.
Irani Parolin Sant'Ana, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Doutora em Educação Matemática pela Universidade Anhanguera de São Paulo (UNIAN) com Estágio na Université de Lyon II - França, no período de Outubro/2015 a Setembro/2016 por meio de uma bolsa modalidade sanduíche financiada pela CAPES, sob a supervisão do professor Dr. Jean-Claude Regnier. Mestre em Ensino, Filosofia e História das Ciências pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Especialista em Matemática para Professor do Ensino em Educação Infantil e Fundamental pela Universidade Estadual de Campinas, Unicamp (2004) e em Informática em Educação pela Universidade Federal de Lavras UFLA (2007). Possui licenciatura em Matemática pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (1989). Atualmente é professora da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia e coordenadora da Area de Educação Matemática.. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Matemática, atuando principalmente nos seguintes temas: matemática, educação, interdisciplinariedade, ensino e aprendizagem e história da matemática.
Publicado
2020-04-22
Seção
Educação Matemática e Tecnologias Digitais