Apreensões figurais mobilizadas ao estudar área de figuras em um ambiente de geometria dinâmica

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar e analisar uma sequência didática envolvendo o estudo de área de figuras em um ambiente de geometria dinâmica com o apoio do software GeoGebra. A partir da abordagem qualitativa e dos princípios da análise de conteúdo são considerados, como fonte de produção de dados, protocolos de licenciandos do curso de Matemática da Universidade Federal de Santa Maria. Estes foram apreciados a partir dos registros de representação semiótica e da perspectiva dos ambientes de geometria dinâmica. Os resultados foram sistematizados em duas categorias. Na primeira, denominada mobilização de registros, identifica-se o emprego de registros simbólicos, algébricos, numéricos, figurais e de língua natural; tratamentos dinâmicos ao mover e reconfigurar as figuras; conversões que priorizaram registros figurais e em língua natural. Na segunda, intitulada apreensões mobilizadas, observa-se que as apreensões perceptiva, discursiva e operatória foram as mais mobilizadas; foram identificados vários modos de ver as figuras e de interpretá-las; argumentos em diferentes níveis de complexidade; mobilização da apreensão operatória mereológica, sendo na maioria delas, a mereológica homogênea e a posicional através de rotação e translação.

Biografia do Autor

Juliana Gabriele Kiefer, UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA

Possui graduação em Matemática - licenciatura (2017) pela Universidade Federal de Santa Maria e curso de pós-graduação latu sensu em Metodologia do ensino de matemática da Faculdade de Educação São Luís. Atualmente é aluna do curso de Pós-Graduação Mestrado em Educação Matemática e Ensino de Física da UFSM e atua como professora de matemática (20h) numa escola municipal de Agudo/RS, como monitora do Projeto Fortalecendo a Aprendizagem em outra escola deste mesmo município, como tutora a distância do curso de Matemática Licenciatura do Iffar, e como professora voluntária no Projeto Obmep na Escola.

Inês Farias Ferreira, UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA
Possui Graduação em Matemática - Licenciatura Plena pela Universidade Federal de Santa Maria (1988), Mestrado em Matemática Aplicada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1993) e Doutorado em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2002). Atualmente é Docente Titular da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), tendo formação acadêmica na área de Matemática Aplicada, com ênfase em Equações Diferenciais. Desde 2008 desenvolve pesquisa, ensino e extensão na área de Ensino, com especialidade em Educação Matemática, na linha de pesquisa de Tecnologia Educacional. Faz parte do corpo docente do Programa de Pós-graduação em Educação Matemática e Ensino de Física desde sua criação junto a UFSM, atuando na área de concentração de Educação Matemática, na linha de pesquisa de Tecnologias de Informação e Comunicação na Educação Matemática. Com foco nesta linha de pesquisa tem participado e coordenado projetos de pesquisa, ensino e extensão envolvendo o uso de recursos tecnológicos no ensino de matemática. Além de realizar docência e orientação em Cursos de Graduação e de Pós-graduação na Modalidade presencial, também trabalha em cursos na modalidade a distância.
Rita de Cássia Pistóia Mariani, UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA
Possui graduação em Matemática- Licenciatura (1997) pela Universidade Federal de Santa Maria, mestrado em Educação (2000) pela mesma instituição e doutorado em Educação Matemática (2006) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Atualmente é professora associada da Universidade Federal de Santa Maria. Tem experiência na área de Educação Matemática atuando principalmente no ensino e na aprendizagem de Matemática na educação básica e no ensino no superior, bem como na formação de professores que ensinam Matemática. 
Publicado
2020-04-22
Seção
Educação Matemática e Tecnologias Digitais