O ensino de geometria e o processo avaliativo mediados pelo ensino híbrido - Sala de aula invertida

Resumo

O presente artigo traz um recorte da pesquisa de mestrado desenvolvida junto ao Programa de Pós-graduação em Ensino (PPGEn), da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB) e foi realizada com alunos recém ingressos na licenciatura em matemática desta Instituição,  na disciplina Fundamentos de Matemática Elementar III (que envolve conteúdos de geometria plana e espacial). Nele discutimos como se deu o processo de inserção da metodologia do Ensino Híbrido – Sala de Aula Invertida, bem como o uso do software GeoGebra, como ferramenta mediadora no desenvolvimento dos conteúdos. A metodologia foi de natureza qualitativa, do tipo participante. Teve como aporte teórico a Teoria Fundamentada nos Dados (TFD), a produção dos dados envolveu questionário, relatórios, registro das observações, acompanhamento das atividades e entrevistas. O objetivo principal foi analisar o processo avaliativo e de ensino e aprendizagem de Geometria com o uso do GeoGebra na metodologia ativa de aprendizagem do Ensino Híbrido – Sala de Aula Invertida. Os resultados apontaram para a necessidade de mudança no processo de avaliação, rompendo com o modelo tradicional, valorizando o trabalho dos alunos, atribuindo significado sobre suas atividades, tornando o processo de avaliação contínuo.

Biografia do Autor

Fabio Nunes Magalhães, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
Licenciado em Matemática, Mestrado em Ensino Universidade Estadual do Sudoste da Bahia.
Maria Deusa Ferreira da Silva, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
Doutora - Departamento de Ciências Exatas.
Publicado
2020-04-22
Seção
Educação Matemática e Tecnologias Digitais