RISO, LINGUAGEM E POLÍTICA NAS MANIFESTAÇÕES DADAÍSTAS

LAUGHTER, LANGUAGE AND POLITICS IN DADA MANIFESTATIONS

  • Matheus Marques NUNES UNIESP - Ribeirão Preto/SP

Resumo

RESUMO: Trata-se de abordar as manifestações dadaístas como uma forma de negação da arte. Perceber o movimento dadaísta como sabotagem da arte mercadoria e também como questionamento do uso da estética como símbolo de distinção social. Compreender suas intervenções como uma crítica ao mercado cultural e não como mais uma renovação estética. Analisar, sobretudo, como Dada trabalhou o riso como destruidor de linguagens e como arma para a formação do seu niilismo iconoclasta. Perceber as implicações de suas atitudes para uma análise sociológica das contradições das sociedades européias do início do século XX.

PALAVRAS-CHAVE: Dadaístas. Riso. Linguagem. Arte e indústria cultural.

    

ABSTRACT: It is to approach the manifastations of dadaists as a way of art denied. Realize the dadaist moviment as sabotage of commodity art and as questioning the use of aesthetics like a symbol of social distiction. Understanding their interventions as a critique of the cultural market an not as an aesthetic renovation. Analyze, especially as Dada worked the laughter like a destroyer of languages and a weapon to the formation of his iconoclastic nihilism. Realize the implications of their attitudes to a sociological analysis of European society's contradictions in the early twentieth century.

KEYWORDS: Dadaists. Laughter. Language. Art and culture industry.

Referências

ADORNO, T. W. E HORKHEIMER, M. Dialética do esclarecimento. Fragmentos Filosóficos. Trad. Guido Antonio de Almeida, Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1985.

BENJAMIN, W. A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica. In: Magia e Técnica, Arte e Política - Obras Escolhidas, volume1. Trad. Paulo Sergio Rouanet. São Paulo: Editora Brasiliense, 1994.

BÜRGER, P. Teoria da Vanguarda. Tra. Ernesto Sampaio. Lisboa: Vega, 1993.

CABANNE, P. Marcel Duchamp: engenheiro do tempo perdido. Trad. Paulo José do Amaral. São Paulo: Editora Perspectiva, 2002.

MARCUSE, H. Eros e civilização. Trad. Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1978.

ORTEGA Y GASSET, J. A rebelião das massas. Trad. Ricardo Araújo. São Paulo: Cortez Editora, 1991.

PAZ, Octavio. Convergências: ensaios sobre arte e literatura. Trad. Moacir Werneck de Castro. Rio de Janeiro: Rocco, 1991.

TZARA, T. Sete manifestos Dada. Trad. José Miranda Justo. Lisboa: Hiena Editora, 1987.

Publicado
2019-03-03