INTERSEÇÕES ENTRE NOVOS MODELOS DE APRESENTAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS E LETRAMENTOS ACADÊMICOS

INTERSECTIONS BETWEEN NEW MODELS OF PAPERS PRESENTATION AND AN ACADEMIC LITERACIES

  • Flávia Danielle Sordi Silva MIRANDA UNICAMP - Campinas/SP

Resumo

RESUMO: Neste artigo busco discutir, sob a luz do campo teórico-epistemológico dos Letramentos Acadêmicos, sobre implicações de tecnologias digitais para modelos de apresentação de artigos científicos nos últimos anos. Trata-se de suscitar reflexões sobre possíveis interseções entre novas formas de publicação e a esfera acadêmica, considerando quais elementos seriam necessários de se trazer à tona a partir de uma visão sociocultural dos letramentos. Para tanto, focalizo a discussão na área da Linguística Aplicada.

PALAVRAS-CHAVE: Artigos Científicos. Novos Modelos de Apresentação. Tecnologias digitais.

      

ABSTRACT: In this article we discuss, based on theoretical and epistemological field of Academic Literacies, implications of digital technologies on scientific articles presenting models in recent years. We desire to raise reflections about possible intersections between new forms of publication and the academic sphere, focusing on the elements needed to be considered on a sociocultural view of literacies, based on Applied Linguistics studies.

KEYWORDS: Scientific Articles. New Models of Presentation. Digital Technologies.

Referências

AMBINDER, D. M. Artigos científicos digitais na Web: novas experiências para apresentação, acesso e leitura. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação). Universidade Federal Fluminense. Instituto de Artes e Comunicação Social, Niterói-RJ, 2012.

______.; MARCONDES, C. H. Novas experiências para apresentação, acesso e leitura de artigos científicos digitais na web. TransInformação, Campinas, v. 25, n. 3, p. 195-201, set./dez., 2013.

BAKHTIN, M, M. Os gêneros do discurso. In:______. Estética da criação verbal. Tradução Paulo Bezerra. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003, p. 261-306.

______. Questões de literatura e de estética: a teoria do romance. São Paulo: HUCITEC, 1993.

BAKHTIN, M, M./VOLOSHINOV, V. N. Marxismo e Filosofia da Linguagem. Trad. de Michel Lahud e Yara Frateschi Vieira. 4. ed. São Paulo: Editora Hubitec, 1986.

CURRY, M. J.; LILLIS, T. A Scholar’s Guide to Getting Published in English: Critical Choices and Practical Strategies. Bristol: Buffalo: Toronto: Multilingual Matters, 2013.

CHAUÍ, M. A universidade pública sob nova perspectiva. Revista Brasileira de Educação. [online]. 2003, n. 24, p. 5-15. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S141324782003000300002&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em 23 mar. 2016.

FIAD, R. S. Reescrita, Dialogismo e Etnografia. Linguagem em (Dis)curso, Tubarão, SC, v. 13, n. 3, p. 463-480, set./dez. 2013.

______. A escrita na universidade. Revista da ABRALIN, v. Eletrônico, n. Especial, p. 357-369, 2.ª parte, 2011.

FUZA, A. F. A constituição dos discursos escritos em práticas de letramento acadêmico-científicas. Tese (Doutorado) – Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem. Campinas-SP, 2015.

GRILLO, S. V. C. Scientific American Brasil: esquemas ilustrativos e divulgação da ciência. SCRIPTA, Belo Horizonte, v. 13, n. 24, p. 145-155, 1º sem. 2009.

KLEIMAN, A. B. Modelos de letramento e as práticas de alfabetização na escola. In: ______. (Org.). Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas: Mercado de Letras, 1995, p. 15-61.

LEA, M. R.; STREET, B. Student Writing in higher education: an academic literacies approach. Studies in Higher Education. Londres, v. 23, n. 2, p. 157-16, Jun, 1998.

MARCONDES, C.H. Um modelo semântico de publicações eletrônicas. LiincemRevista, v.7, n.1, p.82-103, 2011. Disponível em: <http://www.ibict.br/liinc>. Acesso em: 9 jun. 2016.

MIRANDA, F. D. S. S. Letramentos (en)formados por relações dialógicas na universidade: ressignificações e refrações com tecnologias digitais (no prelo).

MOITA-LOPES, L. P. Linguística Aplicada e vida contemporânea: problematização dos construtos que têm orientado a pesquisa. In: MOITA-LOPES, L. P. (Org.). Por uma lingüística Aplicada INdisciplinar. São Paulo: Parábola Editorial, 2006, p. 85-107.

MOTTA-ROTH, D.; HENDGES, G. H. Produção textual na universidade. São Paulo: Parábola Editorial, 2010.

OLIVEIRA, E. F. Letramentos acadêmicos: o gerenciamento de vozes em resenhas e artigos científicos produzidos por alunos universitários. Tese (Doutorado) – Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem, Campinas-SP, 2015.

PASQUOTTE-VIEIRA, E. A. Letramentos Acadêmicos: (re)significações e (re)posicionamentos de sujeitos discursivos. Tese (Doutorado) – Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem. Campinas-SP, 2014.

STREET, B. What's ―new in New Literacy Studies? Critical approaches to literacy in theory and practice. Current issues in comparative education, New York, v. 5, n. 2, p. 77-91, 2003. Disponível em: <http://www.tc.columbia.edu/cice/pdf/25734_5_2_Street.pdf>. Acesso em 10 jun. 2016.

VOLPATO, G. O método lógico para redação científica. RECIIS – Rev Eletron de Comun Inf Inov Saúde, v. 9, n. 1, p. 1-14, jan-mar, 2015. Disponível em: http://www.gilsonvolpato.com.br/new/multimidia/artigos/2_6bfbc0fa7d70897e18b1394d48d3c006.pdf. Acesso em 10 jun. 2016.

Publicado
2019-03-18