“EXTASE”, “SULTAN ACHMET” E “LA TOMBE DIT À LA ROSE”: RETRADUÇÕES DE POEMAS DE VICTOR HUGO MUSICADOS POR FRANCISCO BRAGA

Resumo

As relações culturais entre o Brasil e a França constituem um vastíssimo e fértil campo de estudos para pesquisadores. Desde 2016, desenvolve-se, na Universidade Federal de Sergipe, um projeto – “De la musique avant toute chose” – cujo objetivo é examinar essas relações em uma modalidade específica: a presença da poesia escrita em língua francesa, como letra de canção, em peças musicais brasileiras compostas na virada do século XIX para o XX. Neste artigo, são apresentadas retraduções de três poemas de Victor Hugo (1802-1885) – “Extase”, “Sultan Achmet” e “La tombe dit à la rose” – musicados por Francisco Braga (1868-1945), às quais se acrescentam notas acerca das obras em que tais poemas foram publicados (Les Orientales e Les Voix intérieures), de traduções anteriormente lançadas no Brasil e, por fim, das próprias retraduções propostas, à luz de teóricos da tradução como Antoine Berman e Mário Laranjeira.

Palavras-chave: Relações culturais Brasil – França. Tradução poética. Victor Hugo. Francisco Braga. Canção brasileira.

Biografia do Autor

Valter Cesar PINHEIRO, Universidade Federal de Sergipe - UFS

Doutor em Letras pela Universidade de São Paulo – USP, docente do Programa de Pós-Graduação em Letras e do Departamento de Letras Estrangeiras da Universidade Federal de Sergipe. São Cristóvão – SE.

Yonara Sousa MALTAS, Universidade Federal de Sergipe - UFS

Graduanda em Letras pela Universidade Federal de Sergipe. São Cristóvão – SE.

Silvia Ester Ramos de MELO, Universidade Federal de Sergipe - UFS

Graduanda em Letras pela Universidade Federal de Sergipe. São Cristóvão – SE. E-mail: silviaester.rm@hotmail.com. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-8948-5870.

Referências

ANDRADE, Mário de. Vida literária. Pesquisa, estabelecimento de texto, introdução e notas por Sonia Sachs. São Paulo: Hucitec / Edusp, 1993.

BAGNO, Marcos. Choses du soir: o que se traduz quando se traduz poesia?. In: BARRETO, Junia (org.). Victor Hugo: disseminações. Vinhedo, Editora Horizonte, 2012, p. 347-354.

BERMAN, Antoine. A retradução como espaço da tradução. Tradução de Clarissa Marini e Marie-Hélène Torres. Cadernos de Tradução, Florianópolis, v. 37, n. 2, p.261-268, 2017. https://doi.org/10.5007/2175-7968.2017v37n2p261.

BRAGA, Francisco. Francisco Braga – Canções. Mônica Pedrosa, soprano; Guida Borghoff, piano. Tradução dos poemas: Mõnica Pedrosa e Guida Borghoff. Belo Horizonte: Minas de Som, 2018. 2 CD.

BRITTO, Paulo Henriques. A tradução literária. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2020. 3ª edição.

FALEIROS, Álvaro. Tavares Bastos, retradutor de Victor Hugo. In: FALEIROS, Álvaro; MATTOS, Thiago. A retradução de poetas franceses no Brasil: de Lamartine a Prévert. São Paulo: Rafael Copetti Editor, 2017, p. 75-109.

HUGO, Victor. Les Orientales (segundo a edição original). Paris: G. Chamerot, 1882. Disponível em: https://gallica.bnf.fr/ark:/12148/bpt6k55028937/f1n405.texteBrut [acesso em 30 de agosto de 2020].

______. Les Voix intérieures: Poésies. Lausanne: G. Rouiller, 1837. Disponível em : https://gallica.bnf.fr/ark:/12148/bpt6k54267973 [acesso em 30 de agosto de 2020].

______. Os Miseráveis. Tradução de Casimiro L. M. Fernandes. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2020.

______. Obras Completas, XLI- XLII (seleção e tradução de Jamil Almansur Haddad). São Paulo: Editora das Américas, 1960.

LARANJEIRA, Mário. Poética da tradução: do sentido à significância. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2003.

LEGENDRE, Sophie Delvallez. Les influences hispano-orientales dans l’œuvre poétique, graphique et dramatique de Victor Hugo (1820-1860). Rennes: Hal, 2012. Disponível em: https://tel.archives-ouvertes.fr/tel-00713809/document [acesso em 30 de agosto de 2020].

MATTOS, Thiago. Princípios da retradução. In: FALEIROS, Álvaro; MATTOS, Thiago. A retradução de poetas franceses no Brasil: de Lamartine a Prévert. São Paulo: Rafael Copetti Editor, 2017, p. 5-45.

MESCHONNIC, Henri. Poétique du traduire. Paris: Verdier, 1999.

MORETTO, Fulvia M. L. Victor Hugo e o romantismo. Lettres Françaises, Araraquara/SP, nº 5, 2003, p. 9-18. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/lettres/article/view/736/602 [acesso em 30 de agosto de 2020].

PERRONE-MOISÉS, Leyla (org.). Cinco séculos de presença francesa no Brasil: Invasões, Missões, Irrupções. São Paulo: Edusp, 2013.

REIS, Dennys da Silva; SILVA, Jocileide da Costa. Notas historiográficas dos poemas de Victor Hugo traduzidos no Brasil. Tradução em Revista, 2013/2. Rio de Janeiro, 2013. Disponível em: https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/22592/22592.PDFXXvmi= [acesso em 30 de agosto de 2020].

SANTIAGO, Silviano. Presença da língua e da literatura francesa no Brasil: para uma história dos afetos culturais franco-brasileiros. Letras, Santa Maria, v. 19, n. 2, p. 11-25, 2009. https://doi.org/10.5902/2176148512007.

Publicado
2020-12-30