REFLEXÃO CRÍTICA E PRÁXIS POÉTICA: ÁLVARES DE AZEVEDO E O SUBLIME NO ROMANTISMO BRASILEIRO

Palavras-chave: Sublime, Romantismo, Álvares de Azevedo, Poesia, Narrativa

Resumo

O presente artigo pretende revisitar a obra de Álvares de Azevedo pelo viés da estética e mostrar a importância do conceito do sublime tanto para a sua reflexão crítica sobre a poesia quanto para a sua prática literária. Tal proposta evidenciará, ainda, o caráter central do sublime para o Romantismo brasileiro como um todo, algo negligenciado pela historiografia e pela crítica tradicionais, que enfatizaram os aspectos políticos desse movimento literário, sobretudo o seu papel na construção de uma identidade nacional. Para dar conta dos objetivos deste artigo, buscarei (i) elucidar a relação mais geral entre o sublime e as propostas do Romantismo; (ii) apresentar brevemente a recepção do nosso movimento romântico pela historiografia; e (iii) evidenciar o caráter central do sublime na obra, tanto crítica como poética, de Álvares de Azevedo.

Biografia do Autor

João Pedro BELLAS, Universidade Federal Fluminense - UFF

Doutorando em Literatura Comparada pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Possui mestrado em Literatura Brasileira e Teoria da Literatura e graduação em Filosofia pela mesma universidade. O presente trabalho foi realizado com apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Brasil (CAPES) - Código de Financiamento 001. Agradeço à CAPES pelo apoio à minha pesquisa.

Referências

ABRAMS, Meyer H. O espelho e a lâmpada. Tradução de Alzira Vieira Allegro. São Paulo: Unesp, 2010.

ALVES, Cilaine. O belo e o disforme: Álvares de Azevedo e a ironia romântica. São Paulo: Edusp/Fapesp, 1998.

AZEVEDO, Álvares de. O conde lopo. Rio de Janeiro: Typ. G. Leuzinger & Filhos, 1886.

______. Bertram. In: FARIA, João Roberto (org.). Teatro de Álvares de Azevedo: Macário/Noite na taverna. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

______. Lira dos vinte anos. São Paulo: Nobel, 2009.

______. Literatura e civilização em Portugal. Edição de Roberto Acízelo de Souza. Rio de Janeiro: Caetés, 2016.

BARROS, Fernando Monteiro de. O sublime e o grotesco em O conde lopo, de Álvares de Azevedo. In: Anais do XIII Congresso Internacional da ABRALIC: Internacionalização do Regional. Campina Grande, 2013.

BELLAS, João Pedro. A busca pela transcendência nos trópicos: o sublime no Romantismo brasileiro. São Paulo, 2018. Dissertação de mestrado (Literatura Brasileira) – Instituto de Letras, Universidade Federal Fluminense.

BOSI, Alfredo. História concisa da literatura brasileira. 44. ed. São Paulo: Cultrix, 2006.

______. Imagens do Romantismo no Brasil. In: Guinsburg, J. O Romantismo. 4 ed. São Paulo: Perspectiva, 2005. p. 239-256. (Coleção Stylus).

BURKE, Edmund. Uma investigação filosófica sobre a origem de nossas ideias do sublime e do belo (fragmentos). Trad. João Pedro Bellas. In: FRANÇA, Júlio e ARAÚJO, Ana Paula (Orgs.). As artes do mal: textos seminais. Rio de Janeiro: Bonecker, 2018, p. 52-60.

CANDIDO, Antonio. Na sala de aula: caderno de análise literária. São Paulo: Ática, 1985.

______. O método crítico de Sílvio Romero. 4. ed. Rio de Janeiro: Ouro sobre azul, 2006.

______. O Romantismo no Brasil. 3. ed. São Paulo: Humanitas, 2012.

______. Formação da literatura brasileira: momentos decisivos. 15. ed. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2014.

COLERIDGE, Samuel Taylor. Biografia literária. Tradução de Julio Jeha. In: PALMA, Anna et al. O Romantismo europeu. Belo Horizonte: Autêntica, 2013. p. 88-114.

HANSEN, João Adolfo. Forma romântica e psicologismo crítico. In: ALVES, Cilaine. O belo e o disforme: Álvares de Azevedo e a ironia romântica. São Paulo: Edusp, 1998. p. 9-23.

LIMA, Luiz Costa. Sociedade e discurso ficcional. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986.

LONGINO. Do sublime. Introdução e notas de J. Pigeaud. Tradução de Filomena Hirata. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

LOVEJOY, Arthur O. On the discrimination of Romanticisms. In: ABRAMS, Meyer H. (Ed.). English Romantic Poets. 2. ed. New York: Oxford University Press, 1975. p. 3-24.

SCHLEGEL, Friedrich. Fragmentos sobre poesia e literatura (1797-1803) seguido de Conversa sobre poesia. Tradução de Constantino Luz de Medeiros e Márcio Suzuki. São Paulo: Editora Unesp, 2016.

SOUZA, Roberto Acízelo de. Apresentação. In: AZEVEDO, Álvares de. Literatura e civilização em Portugal. Edição de Roberto Acízelo de Souza. Rio de Janeiro: Caetés, 2016. p. 9-24.

VERÍSSIMO, José. História da literatura brasileira de Bento Teixeira (1601) a Machado de Assis (1908). São Paulo: Letras & Letras, 1998.

WORDSWORTH, William. Prefácio à segunda edição das Baladas Líricas. Tradução de Roberto Acízelo de Souza. In: SOUZA, Roberto Acízelo de. A ideia de poesia e arte: reflexões oitocentistas anglo-norte-americanas. Rio de Janeiro: Editora Caetés, 2007. p. 9-30.

Publicado
2021-07-27
Seção
DOSSIÊ - ÁLVARES DE AZEVEDO: REVISÃO CRÍTICA