ATENUADORES EM INTRODUÇÕES DE ARTIGOS ACADÊMICOS DA ÁREA DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

  • Roberto Carlos Ribeiro Araújo Universidade Federal de Viçosa-UFV
Palavras-chave: Metadiscurso. Atenuadores. Artigo acadêmico.

Resumo

O estudo do metadiscurso é essencial para a compreensão de como autores argumentam em seus textos. Adotamos neste artigo a teoria Hylandiana. Verificamos o uso dos atenuadores em introduções de artigos acadêmicos da área da administração pública de língua portuguesa. Foi feita uma análise descritiva e qualitativa a partir dos atenuadores em 80 introduções, sendo 40 da década de 1960 e 40 da década de 2010. Observou-se, no corpus, o uso recorrente da estratégia de indeterminação, a qual se deu por meio de recursos linguísticos como expressões epistêmicas e aproximativas, com destaque, entre outros, para o verbo poder, os advérbios principalmente e (em) geral, ademais do adjetivo possível. Esses recursos de atenuação apresentaram variação de frequência de uso e se revelaram como importante instrumento retórico para negociação e ratificação do conhecimento científico, ressaltando o papel do artigo acadêmico enquanto espaço do jogo argumentativo e a função promocional e comunicativa da seção de introdução, o que possibilitou ao autor posicionar-se de forma comedida, persuasiva e deferida, resguardando-se diante da crítica de seus pares e conquistando espaço profissional em sua comunidade.

Referências

BAZERMAN, Charles. Atos de fala, gêneros textuais e sistemas de atividades: como os textos organizam atividades e pessoas. In: Gêneros textuais, tipificação e interação. São Paulo: Cortez, 2005.

BAZERMAN, Charles. Gêneros textuais, tipificação e interação. São Paulo: Cortez, 2006. Organizadoras: Ângela Paiva Dionísio e Judith Chambliss Hoffnagel.

BAZERMAN, Charles. Retórica da ação letrada. São Paulo: Parábola Editorial, 2015.

BIDERMAN, Maria Tereza Camargo. A face quantitativa da linguagem: um dicionário de frequências do português. Alfa, São Paulo, 42 (n. esp.), p. 161-181, 1998.

FAIRCLOUGH, N. Analysing discourse. Textual analysis for social research. New York: Routtedge, 2003.

HYLAND, Ken. Metadiscourse: exploring interaction in writing. New York: Continuum, 2005a.

HYLAND, Ken. Stance and engagement: a model of interaction in Academic Discourse. In: Discourse Studies. Sage publications, 2005b. Disponível em: <http://www2.caes.hku.hk/kenhyland/files/2012/08/Stance-and-engagement_a-model-of-interaction-in-academic-discourse.pdf> Acesso em: 30 nov. 2018.

HYLAND, Ken. Hedging in scientific research articles. Amsterdam: John Benjamins, 1998.

HYLAND, Ken. Disciplinary identities: individuality and community in academic discourse. Cambridge: Cambridge University Press, 2012.

MARTÍN-MARTÍN, Pedro. The mitigation of scientific claims in research papers: a comparative study. International Journal of English Studies, v. 8, n. 2, 2008, p. 133-152. University of Murcia. Disponível em: Acesso em: jan.-mar. 2019.

MILLER, C. Estudos sobre gênero textual e tecnologia. Recife: Ed. Universitária da UFPE, 2009.

SILVA, Adriana da. Metadiscurso na perspectiva de Hyland: definições, modelos de categorização e possíveis contribuições. Letras, Santa María, v. 27, n. 54, p. 41-67, jan.-jun.

Disponível em: <https://periodicos.ufsm.br/letras/article/view/25732> Acesso em: fevereiro de 2019.

SWALES, J. M. Genre analysis: English in academic and research settings. Cambridge: Cambridge University Press, 2005.

Publicado
2022-07-05
Seção
Dossiê: Estudos Linguísticos