DA JANELA À SEPULTURA: ENCONTROS DE ROMEU E JULIETA APROPRIADOS POR ÁLVARES DE AZEVEDO

  • Alexandre Silva da Paixão 79 999086640
Palavras-chave: Álvares de Azavedo, Contato, Efeito, Literatura comparada, Romeu e Julieta

Resumo

Com a implantação do teatro no Brasil do século XIX, algumas peças de William Shakespeare (1564-1616) foram encenadas tanto por meio de adaptações elaboradas por João Caetano quanto por intermédio de versões originais apresentadas por companhias italianas. Este contato causou um efeito visceral no público, surgindo a mania de ler e dialogar com as obras shakespearianas, referenciando-as em seus textos. Esta pesquisa se alinha à literatura comparada e intenta estabelecer relações de Romeu e Julieta com a obra de Álvares de Azevedo (1831 - 1852), poeta da segunda fase romântica brasileira. Ademais, fundamenta-se nos estudos de Carvalhal (2006), Nitrini (2010) e Sant’anna (1988) sobre apropriação, comparatismo e recepção literária e em Amaral (2006) que traçou apontamentos acerca da presença do dramaturgo inglês na produção azevediana. Analisaram-se qualitativamente alguns textos do poeta paulista para verificar semelhanças e dessemelhanças entre os autores, com o objetivo de entender as razões pelas quais o jovem escritor fez essas menções incisivas à tragédia supracitada. Dessa forma, observaram-se três encontros significativos das personagens shakespearianas apropriados direta e indiretamente pelo autor brasileiro.

Referências

ÁLVARES DE AZEVEDO, Manuel Antônio. Obra Completa. Org. Alexei Bueno. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2000.

AMARAL, Vitor Alevato do. Álvares de Azevedo e a linguagem dramática. Dissertação de Mestrado. UFRJ, Rio de Janeiro, 2006.

ANDRADE, Mário de. Amor e medo. In: AZEVEDO, Álvares. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2000, p. 53-57.

ASSIS, Machado de. “Álvares de Azevedo”. In: AZEVEDO, Álvares. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2000, p. 24-26.

BLOOM, Harold. Shakespeare: la invención de lo humano. Traducción de Tomás Segovia. 1. ed. Barcelona: Anagrama, 2019.

BRADLEY, A.C. A tragédia Shakespeariana. Tradução de Alexandre Feitosa Rosas. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2009.

BOSI, Alfredo. O romantismo. In: ______. História Concisa da literatura brasileira. 41. ed. São Paulo: Cultrix, 1994, p. 88-160.

BUENO, Alexei. A idéia da morte em Álvares de Azevedo. In.: Revista Brasileira. Fase VII. Abril-Maio-Junho. 2003. Ano IX. Nº 35. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras.

CÂNDIDO, Antônio. “Álvares de Azevedo, ou Ariel e Caliban”. In: AZEVEDO, Álvares. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2000, p. 81-95.

CARVALHAL, Tania Franco. Literatura comparada. 4. ed. São Paulo: Ática, 2006.

CONY, Carlos Heitor. Álvares de Azevedo: o amante da morte. In.: Revista Brasileira. Fase VII. Abril-Maio-Junho. 2003. Ano IX. Nº 35. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras.

FARIA, Maria Alice de Oliveira. Astarte e a espiral. São Paulo: Conselho Estadual de Cultura, 1973.

GESTEIRA, Sergio Martagão. Eros e errância em Álvares. In.: Revista Brasileira. Fase VII. Abril-Maio-Junho. 2003. Ano IX. Nº 35. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras.

GOMES, Eugênio. Shakespeare no Brasil. Rio de Janeiro: MEC, 1961.

HELIODORA, Barbara. Shakespeare, o que as peças contam: tudo que você precisa saber para descobrir e amar a obra do maior dramaturgo de todos os tempos. 1. ed. Rio de Janeiro: Edições de Janeiro, 2014.

JÚNIOR, Raimundo Magalhães. Poesia e vida de Álvares de Azevedo. São Paulo: Lisa, 1971.

MONTEIRO, Jaci. “Álvares de Azevedo”. In: AZEVEDO, Álvares. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2000, p.19-24.

NITRINI, Sandra. Literatura comparada. 3. ed. São Paulo: EDUSP, 2010.

PRADO, Décio de Almeida. Um drama fantástico: Álvares de Azevedo. In: ______. O drama romântico brasileiro. São Paulo: Perspectiva, 1996. p.119-142.

ROMERO, Sílvio. “Álvares de Azevedo”. In: AZEVEDO, Álvares. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2000, p. 26-43.

SANT’ANNA, Affonso Romano. Paródia, paráfrase & cia. 3. ed. São Paulo: Ática, 1988.

SHAKESPEARE, William. Romeu e Julieta. In: ______. William Shakespeare: tragédias e comédias sombrias. Trad. Barbara Heliodora. 1. ed. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2008, p. 129-252.

______. The complete works. Rio de Janeiro: WSK, 1974.

SOARES, Angélica. Ressonâncias veladas da lira: Álvares de Azevedo e o poema romântico-intimista. Rio de Janeiro: Tempo Brasileira, 1989.

STEGAGNO-PICCHIO, Luciana. “O fascinante Álvares de Azevedo”. In: AZEVEDO, Álvares. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2000, p. 98, 99.

WERKEMA, Andréa Sirihal. Shakespeare constituinte da obra de Álvares de Azevedo/Shakespeare as part of Álvares de Azevedo’s work. O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, v. 30, n. 4, p. 11-23.

Publicado
2022-07-05
Seção
Dossiê: Estudos Literários