AS LÍNGUAS E SEUS LUGARES NAS FRONTEIRAS: DESAFIOS DA FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM CONTEXTOS MULTILÍNGUES

  • Isis Ribeiro Berger UNIOESTE / Professora Adjunta
Palavras-chave: línguas; fronteiras; políticas linguísticas.

Resumo

A intensa circulação e mobilidade populacional que se verifica em regiões de fronteiras nacionais resultam na configuração de espaços de grande diversidade linguístico-cultural. Esses se constituem como ambientes plurilíngues em que os sujeitos desenvolvem e lançam mão de repertórios plurais, em razão das vivências, oportunidades e situações de interação em diferentes línguas, nos mais variados domínios. Diante dessa realidade, a ideologia da consolidação de territórios nacionais monolíngues coincidentes com territórios político-administrativos dos Estados e de todo o conjunto de conhecimentos que deriva dessa orientação se vê desafiada pelo inevitável fluxo de pessoas e suas línguas pelas fronteiras. Nesses contextos, os lugares oficiais das línguas, bem como seus estatutos nas políticas linguístico-educacionais colidem com os diferentes lugares que as línguas ocupam nas práticas linguísticas cotidianas. Este texto, que se inscreve no escopo da Política Linguística, visa discutir a relação entre os lugares estabelecidos para as línguas oficialmente e institucionalmente no âmbito da educação, no contraponto com os lugares que as línguas ocupam nas práticas cotidianas. Trata-se de tecer reflexões sobre os desafios da formação inicial e da docência em contextos em que línguas e fronteiras se (des)encontram.

Referências

APPEL, René; MUYSKEN, Pieter. Bilinguismo Y contacto de lenguas. Barcelona: Editora Ariel, S/A: 1996.

BERGER, Isis Ribeiro. Gestão da diversidade linguística na educação formal no Brasil: desafios para uma política linguística. Revista (Con)Textos Linguísticos, v. 11, n. 20, p. 54-69, 2017. Disponível em: http://periodicos.ufes.br/contextoslinguisticos/article/view/16959 . Acesso em: 20 jun. 2018.

BERGER, Isis Ribeiro. Gestão do multi/plurilinguismo em escolas brasileiras na fronteira Brasil – Paraguai: um olhar a partir do Observatório da Educação na Fronteira. 2015. 298f. Tese (Doutorado em Linguística) Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2015.

BERGER, Isis. Ribeiro. MENDES, Luan Henrique. Reflexões sobre o perfil linguístico de professores de línguas em formação no contexto multilíngue de Foz do Iguaçu. Revista Digital de Políticas Lingüísticas. Año 13, Volumen 14, noviembre 2021. Disponível em: https://revistas.unc.edu.ar/index.php/RDPL/article/view/35474 Acesso em: 30 dez 2021.

BHABHA, Homi. O Local da Cultura. Belo Horizonte, Editora UFMG, 2001.

BENTO, Fábio Régio. Fronteiras, significado e valor – a partir do estudo da experiência das cidades gêmeas de Ribera e Santana do Livramento. In: BENTO, Fábio Régio. (Org). Fronteiras em Movimento. Jundiaí: Paco Editorial, 2012.

BOURDIEU, Pierre. A produção e a reprodução da língua legítima. In: ______. A economia das trocas linguísticas. 2. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2008.

CALVET, Louis-Jean. Sociolinguística: uma introdução crítica. São Paulo: Parábola, 2002.

CALVET, Louis-Jean. As políticas linguísticas. São Paulo: Parábola Editorial: IPOL, 2007.

CARDIN, Eric Gustavo; ALBUQUERQUE, José Lindomar Coelho. Fronteiras e deslocamentos. In: Revista Brasileira de Sociologia, v. 06, n.12, Jan-Abr, 2018. Disponível em: http://www.sbsociologia.com.br/rbsociologia/index.php/rbs/article/view/350/200

COOPER, Robert L. Language Planning and Social Change. Cambridge University Press, Cambridge, 1989.

DALINGHAUS, Ione Vier; PEREIRA, Maria Ceres. Os reflexos da falta de políticas linguísticas em contextos fronteiriços do Mato Grosso do Sul. In: Línguas & Letras. UNIOESTE. Cascavel, PR: Edunioeste, v. 10, n. 18, 1. sem., 2009. p. 97-111.

DAY, Kelly Cristina Nascimento. Fronteiras linguísticas e fronteiras políticas: relações linguísticas e sociohistóricas na fronteira do Brasil com a Guiana Francesa. Dossiê: Língua em uso. Cadernos de Letras da UFF, Rio de Janeiro, v. 23, n. 47, p. 163-182, 2013.

FERRAZ, Cláudio Benito O. Entre-lugar: apresentação. In: Entre-Lugar. Dourados, MS, ano 1, n. 1, 1º semestre de 2010.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder. Organização e Tradução Roberto Machado. 20 ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 2004.

GARCÍA, Ofélia. Education, multilingualism and translanguaging in the 21st century. In: MOHANTY, A. et.al (Ed.). Multilingual Education for Social Justice: globalising the local. New Delhi: Orient Blackswan (former Orient Longman), 2009.

GONZÁLEZ, Neide Therezinha Maia. Prefácio. In: TALLEI, Jorgelina; TEIXEIRA, Wagner Barros. (Org.) Transbordando as fronteiras: lenguajes desde el entrelugar, resistencia y pluralidad en los Brasiles. Manaus: EDUA, 2020.

LAGARES, Xoán Carlos. Qual Política Linguística? Desafios Glotopolíticos Contemporâneos. São Paulo: Parábola Editorial, 2018.

MARQUES, Denise Helena França. A circularidade na fronteira do Paraguai e Brasil: o estudo de caso dos “brasiguaios”. Tese (Doutorado em Demografia) – Universidade Federal de Minas Gerais, 2009.

MORELLO, Rosângela. Línguas, Fronteiras e Perspectivas para o Ensino Bilíngue e Plurilíngue no Brasil. In: MORELLO, R.; MARTINS, M. F. (Orgs.) Observatório da Educação na Fronteira: Política Linguística em contextos Plurilíngues: desafios e perspectivas para a escola. Florianópolis: IPOL: Editora Garapuvu, 2016.

OLIVEIRA, Gilvan Muller de. Línguas de fronteira, fronteiras de línguas: do multilinguismo ao plurilinguismo nas fronteiras do brasil. GeoPantanal. 21,11: 59-72, 2016. Disponível em: http://seer.ufms.br/index.php/revgeo/article/view/2573/2347. Acesso em: 3 jun. 2018.

OLIVEIRA, Gilvan Muller de. Prefácio. In: BERGER; Isis Ribeiro.; REDEL, Elisangela. Políticas de gestão do multilinguismo: práticas e debates. Campinas: Pontes, 2020.

OLIVEIRA, Gilvan Muller de; ALTENHOFEN, Cleo Vilson. O in vitro e o in vivo na política da diversidade linguística no Brasil: inserção e exclusão do plurilinguismo na educação e na sociedade. In: MELLO, H.; ALTENHOFEN, C.; RASO, T. (Org.). Os contatos linguísticos no Brasil. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011.

PIRES-SANTOS, Maria Elena Pires. Fatores de risco para o sucesso escolar de crianças brasiguaias nas escolas de Foz do Iguaçu: uma abordagem sociolingüística. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Paraná, 1999.

RAFFESTIN, Claude. Prefácio. In: OLIVEIRA, Tito Carlos Machado de (Org.). Território sem limites. Campo Grande, UFSM, 2005.

RIBEIRO, Simone Beatriz Cordeiro; OLIVEIRA, Gilvan M. de. “Olha, eu acho que assim, a gente fala o portunhol porque nós não sabemos o espanhol”: políticas linguísticas em fronteiras multilíngues. Revista The Especialist, v. 39, n. 2, ano 2018, p. 1-16, 2018.

RICENTO, Thomas. (Ed.) An Introduction to Language Policy: theory and method. Malden, MA, EUA: Blackwell, 2006.

RUBIO, V. I.La integración regional e la enseñanza de lenguas extranjeras: el portugués en Argentina y el español en Brasil en la escuela media (2003-2005). Perspectiva glotopolítica. Buenos Aires, Argentina. Tese de doutorado. Universidad de Buenos Aires – UBA, 366p. 2020.

SCHIFFMAN, Harold. Language policy and linguistic culture. In: RICENTO, Thomas (ed.). An introduction to language policy: theory and method. Malden, MA, EUA: Blackwell, 2006. p. 111-125.

SHOHAMY, Elana. Language Policy: hidden agendas and new approaches. NY: Routledge, 2006.

SOUZA, Mariana Jantsch de. Fronteiras Simbólicas: espaço de hibridismo cultural. Letrônica. Porto Alegre, v. 7, n. 1, p. 475-489, jan./jun., 2014. Acesso em 02/10/2018

SPOLSKY, Bernard. Language Management. NY: Cambridge University Press, 2009.

STURZA, Eliana Rosa. Línguas de fronteiras e política de línguas: uma história das idéias linguísticas. Tese (Doutorado) – Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem, São Paulo, 2006.

TALLEI, Jorgelina Ivana. La formación permanente docente em la frontera: pensar desde um translugar fronterizo. In: BERGER; I.R.; REDEL, Elisangela. Políticas de gestão do multilinguismo: práticas e debates. Campinas: Pontes, 2020.

TEIXEIRA, Wagner Barros. Fluidez transfronteiriça e as funções das línguas espanhola e portuguesa nos entre-lugares amazonenses. In: TALLEI, Jorgelina; TEIXEIRA, Wagner Barros. (Org.) Transbordando as fronteiras: lenguajes desde el entrelugar, resistencia y pluralidad en los Brasiles. Manaus: EDUA, 2020.

Publicado
2022-07-05
Seção
Dossiê: Estudos Linguísticos