UM CAVALO NA MINHA PAISAGEM: O SUJEITO LÍRICO QUE SE DESLOCA PARA A MORTE DO OUTRO

  • Iverton Gessé Ribeiro Gonçalves Universidade Federal de Mato Grosso
Palavras-chave: Horizonte, Sujeito lírico, Paisagem, Morte, Cecília Meireles

Resumo

O presente trabalho se debruça sobre o estudo da paisagem na poesia de Cecília Meireles, em específico, a experiência de morte que afeta o sujeito lírico no poema O Cavalo Morto (1983). A paisagem construída pelo sujeito lírico e que, mutuamente, o constitui como ser tocado pela morte será analisada com base nos princípios teóricos do poeta e pesquisador francês Michel Collot, acionando as noções que perpassam a estrutura de horizonte, o sujeito lírico fora de si e o referente poético. Para que o sujeito experiencie a morte na morte de outro é necessário um deslocamento de seu lugar na paisagem em direção ao horizonte, podendo, em curtos golpes de vista, transcender essa estrutura. Esse estudo parte de uma perspectiva em que o sujeito poeta participa da experiência de morte na constituição da paisagem literária, portanto, considera o objeto literário como uma produção poética do eu em que sujeito e paisagem se constituem mutuamente.

Referências

BARBOSA, M. H. S. Como quem vê outra coisa: encontro entre a poesia na obra de Sophia de M. B. Andresen. Convergência Lusíada, v. 31, p. 6/01-21, 2014.

BARBOSA, M. H. S. Memórias do futuro: alteridade do mundo e do sujeito na poesia de Cecília Meireles. Letrônica, v. 11, p. 189-201, 2018.

COLLOT, Michel. Pontos de vista sobre a percepção de paisagens. In: NEGREIROS, Carmem; ALVES, Ida; LEMOS, Masé (Orgs.). Literatura e paisagem em diálogo. [S.l.]: Edições Macunaíma, 2012. p. 11-28.

COLLOT, Michel. Poética e filosofia da paisagem. Coordenação da tradução por Ida Alves... [et al.]. 1. ed. Rio de Janeiro: Oficina Raquel, 2013a.

COLLOT, Michel. O sujeito lírico fora de si. Tradução de Zênia de Farias e Patrícia Souza Silva Cesaro. Signótica, v. 25, n. 1, p. 221-241, jan./jun. 2013b.

DAL FARRA, M. L. Cecília Meireles: imagens femininas. Cadernos Pagu, v. 27, p. 333-371, 2006.

DE CERTEAU, Michel. A cultura no plural. Tradução Enid Abreu Dobránszky. Campinas, SP: Papirus, 1995.

MEIRELES, Cecília. Mar absoluto e outros poemas: Retrato natural. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1983.

MEIRELES, Cecília. Poesia completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994.

Publicado
2022-07-05
Seção
Dossiê: Estudos Literários