A ESCRITA PÓS-COLONIAL DE ISABEL ALLENDE, EM A ILHA SOB O MAR

ISABELL ALLENDE POST-COLONIAL WRITING IN THE ISLAND BENEATH THE SEA

Laissy Taynã da Silva BARBOSA, Cinara FERREIRA

Resumo


RESUMO: Este artigo pretende investigar a escrita pós-colonial de Isabel Allende em A ilha sob o mar, abarcando as teorias feministas e teorias no âmbito dos Estudos Pós-coloniais considerando que a autora posiciona-se publicamente em suas obras como uma feminista. Portanto, assume-se que ela constrói personagens femininas fortes e resilientes, que tomam para si uma voz enunciativa na narrativa.

PALAVRAS-CHAVE: Pós-colonial. Feminismo. Escrita. Isabel Allende.



ABSTRACT: This article intends to investigate Isabel Allende's postcolonial writing in the Island beneath the sea, encompassing feminist theories and Post-Colonial Studies theories, considering that the author shows herself as a feminist on her books. Therefore, she constructs strong and resilient female characters, who undertake an enunciative voice in the narrative.

KEYWORDS: Post-colonial. Feminism. Writing. Isabel Allende.


Referências


ALLENDE, Isabel. Eva Luna. Trad. Luísa Ibanez. Rio de Janeiro/São Paulo: Record, 1987.

______. Paula. Trad. Irene Moutinho. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1995.

______. A ilha sob o mar. Trad. Ernani Ssó. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. 2009a.

______. O amante japonês. Trad. Joana Angélica D’Ávila Melo. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2009b.

BAHRI, Deepika. Feminismo e/no pós-colonialismo. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 21, n. 2, p. 659-688, 2013.

BHABHA, Homi K. O local da cultura. Trad. Myriam Ávila, Eliana Lourenço de Lima Reis, Gláucia Renate Gonçalves. 2. ed. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2013.

BONNICI, Thomas. Teoria e crítica pós-colonialistas. In: BONNICI, Thomas; ZOLIN, Lucia Ozana (Org.). Teoria literária: abordagens históricas e tendências contemporâneas. 3. ed. Maringá: Eduem, 2009. p. 257-285.

DERRIDA, Jacques. Gramatologia. Trad. Mirian Chnaiderman e Renato Janine Ribeiro. São Paulo: Perspectiva, 2006.

EICH, Milena Campos. Deuses que dançam e conclamam à revolução: feminismo, afeto e resistência no Haiti colonial de Isabel Allende. Jundiaí: Paco Editorial, 2016.

FIGUEIREDO, Eurídice. Conceitos de literatura e cultura. Niterói: EdUFF, 2012. p. 163-206.

FRANCO, Jean. Invadindo o espaço público: transformando o espaço privado. Marcar diferenças, cruzar fronteiras. Florianópolis: Ed. Mulheres; Belo Horizonte: PUC Minas, 2005.

HALL, Stuart. Quando foi o pós-colonial? Pensando no limite. In: ______. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Trad. Adelaine La Guardia Resende... [et al]. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2013. p. 101-128

LEITE, Ana Mafalda. Oralidades e escritas pós-coloniais: estudos sobre literaturas africanas. Niterói: Eduerj, 2012.

NAVARRO, Márcia Hope. A mulher em Eva Luna de Isabel Allende. Travessia:. Florianópolis, n. 21, p, 172-180, 1990.

SAID, Edward W. Orientalismo: O Oriente como invenção do Ocidente. Trad. Rosaura Eichenberg. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

SILVA, Liliam Ramos da. Recordar para (re)contar: representaciones de la protagonista negra em tres novelas históricas hispanoamericanas. Tese (Doutorado em Letras/Estudos Literários) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. 2015.

WOOLF, Virgínia. Um teto todo seu. Trad. Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.

ZOLIN, Lucia Ozana. Literatura de autoria feminina. In: ZOLIN, Lucia Ozana (Orgs.). Teoria literária: abordagens históricas e tendências contemporâneas. 3. ed. Maringá: Eduem, 2009. p. 327-336.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.
';



Bases indexadoras:



Sumários de Revistas Brasileiras

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.