ASCENSÃO E DECADÊNCIA DE UM ESCRITOR

RISE AND DECAY OF A WRITER

Valdemar VALENTE JUNIOR

Resumo


MARONA, Leonardo. Cossacos gentis. Rio de Janeiro: Oito e Meio, 2015.

 

O lugar do poeta apresenta-se envolto em situações que destoam da expectativa dos que apenas veem o desenrolar de uma existência em que todos são iguais. A isso acrescenta-se sua condição de ser que não consegue distinguir a realidade daquilo que a imita, ou ainda, a diferença entre a vida e a literatura. O aprisionamento que condena as pessoas a repetições e condicionamentos tem no poeta alguém capaz de caminhar por entre as frestas do sistema, observando as disjunções que se aplicam à pessoa comum e à pessoa rara. Isso remete à história de Benito Milagres, acometido pela doença incurável que o faz despencar do topo de um mundo improvável rumo ao abismo das situações que não possuem limite. A esse personagem singular Leonardo Marona dedica quase duzentas páginas, em seu romance Cossacos gentis, enumerando os altos e baixos de quem não sabe o que representa cada um desses estágios. A sorte ou o azar, a vida ou a obra, o bem ou o mal significam etapas inerentes ao transcurso de uma viagem sem retorno. Por conta disso, a narrativa não possui uma diretriz, caminhando rumo ao inusitado de situações de sentido sempre incompleto...


Referências


MARONA, Leonardo. Cossacos gentis. Rio de Janeiro: Oito e Meio, 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.
';



Bases indexadoras:



Sumários de Revistas Brasileiras

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.