Edições anteriores

2018

Capa da revista

v. 16, n. 2 (2018): Travessias Interativas Vol. 16

NOTA INTRODUTÓRIA

            Entre 29 de janeiro e 29 de abril de 2018 a revista de letras Travessias Interativas esteve com chamada aberta para dois dossiês, a serem publicados no mesmo volume, atendendo às duas grandes áreas. O primeiro trata de Multimodalidade e o ensino de línguas e foi organizado pelos professores Vanderlei J. Zacchi (UFS) e Viviane Heberle (UFSC). O segundo é sobre Literatura de autoria feminina e foi organizado por mim e pela professora Cláudia Parra (UNESP/FATEC). Dos 24 artigos submetidos para o primeiro dossiê, 10 foram selecionados, em conformidade com as políticas editoriais da revista, e fazem parte da edição. Dos 55 artigos submetidos para o segundo dossiê, 26 compõem o número. Além das duas principais seções, compostas pelos dossiês, há um artigo publicado na seção de iniciação científica e uma resenha que fecha o volume.

            A revista conta, agora, com novas bases indexadoras internacionais, CiteFactor, Elektronische Zeitschriftenbibliothek, Actualidad Iberoamericana e LatinREV, o que favorece os procedimentos de internacionalização e a divulgação de nossas pesquisas em novas plataformas. O décimo sexto volume completa os oito anos do surgimento da revista, que tem mantido a regularidade de sua publicação semestral.

            Agradecemos aos conselheiros internos e aos pareceristas ad-hoc pelo empenho nesta edição, além dos organizadores dos dossiês pela cuidadosa seleção e preparação. Enfim, somos gratos aos autores que contribuíram, enviando textos inéditos e colaborando com os estudos linguísticos e literários divulgados na Travessias.

Prof. Dr. Alexandre de Melo Andrade
Departamento de Letras Vernáculas (UFS)
Editor-Chefe

Capa da revista

v. 15, n. 1 (2018): Travessias Interativas Vol. 15

      A revista Travessias Interativas, agora vinculada ao Departamento de Letras Vernáculas da UFS (Universidade Federal de Sergipe) – Campus de São Cristóvão, chega à edição de número 15. O eixo da Travessias continua sendo estudos centrados no domínio das Letras (Literatura e Linguística). Integram esse número trinta produções: vinte e sete artigos, sendo quatro de iniciação científica, e três resenhas. Os textos aqui elencados são diversificados, tendo em vista que se trata de um número atemático.

      Movendo-se por entre as questões linguísticas, os textos acolhem estudos provenientes de diversas subáreas, como Linguística Aplicada, Neurolinguística, estudos de Língua Estrangeira, entre outros. Um dos artigos propõe discussões em torno do conceito de “comunicabilidade”, desenvolvido pelo linguista Charles Briggs, e as possíveis implicações do conceito para a discussão e aprimoramento acerca da prática de entrevistas em pesquisas. Diferenças e semelhanças entre o português brasileiro e o europeu também são levantadas neste número, em um texto que investiga se a existência dessas variedades aponta para um afastamento total, ou representa apenas algumas áreas da língua afetadas pelos percursos históricos. Outro estudo, que trata da disartria sob a ótica da Linguística, visa contribuir para o aprimoramento da teoria Neurolinguística sobre esse distúrbio da linguagem. Na área dos estudos de Línguas Estrangeiras em Inglês, os textos contemplam assuntos como a análise de livro didático sob a perspectiva de multiletramentos, aspectos metodológicos e práticas pedagógicas no ensino médio e a utilização de tecnologias por meio de jogos digitais para a aprendizagem de línguas no contexto escolar. Aspectos associados à nasalidade, produção de sentido, oralidade e causos permeiam, ainda, os artigos aqui apresentados.

      O volume se completa com a seção sobre Literatura e, correspondendo à diversidade dos estudos literários atuais, a edição apresenta artigos sobre variados gêneros estudados e diferentes  abordagens teóricas.  Na poesia  brasileira, há  um estudo das  dimensões simbólica e histórica da representação do feminino na obra Toda a América, de Ronald de Carvalho, e na sequência um estudo do poema herói-cômico O desertor, de Silva Alvarenga; na poesia portuguesa, há uma análise de elementos formais e aspectos existenciais na obra Poemas sobre a morte, a aniquilação e o jogo, de António Manuel Bracinha Vieira. Dois artigos abordam o conto, um deles propondo a consideração do conceito de exotopia e sua relação com dois contos do escritor goiano José J. Veiga, e o outro versando sobre as marcas enunciativas da categoria da “melancolia” em Los inmigrantes, do uruguaio Horacio Quiroga. Entre os textos destinados à análise de romances, há trabalhos sobre A lua vem da Ásia, de Campos de Carvalho, e uma investigação do realismo presente no único romance de Guimarães Rosa, Grande Sertão: Veredas, com base nos princípios estéticos elaborados por György Lukács. Ainda no campo da narrativa aparece um artigo que discute a narrativa juvenil brasileira das últimas décadas e sua ligação com o romance policial. Outro ensaio oferece um panorama do naturalismo romanesco brasileiro na busca pela objetividade, neutralidade e totalidade, sob as influências das concepções científicas do fim do século XIX. No romance estrangeiro, as análises ficam por conta de obras dos autores norte-americanos William Faulkner e Craig Thompson, da chilena Isabel Allende e do francês Gustave Flaubert.

      Na sequência aparecem os artigos proveninetes de projetos de iniciação científica. Os dois primeiros se voltam para questões de ensino: o primeiro trata das motivações dos alunos de uma escola do estado de Sergipe para o ENEM, e o segundo trata de tecnologias no ensino de língua espanhola como língua estrangeira. Os outros dois artigos, ligados aos estudos literários, apresentam leituras críticas de narrativas: de um lado, a autoficcção na obra Traiciones de la memoria, do colombiano Héctor Abad Faciolince, e de outro, o riso infantil em Campo Geral, de Guimarães Rosa. As obras resenhadas na última seção são Perspectivas em avaliação no ensino e na aprendizagem de línguas: pesquisas e encaminhamentos na formação e na prática docente (de Douglas Altamiro Consolo, Sandra Regina Buttros Gattolin e Vera Lúcia Teixeira da Silva), Duas Janelas (de Marcos Siscar e Ana Martins Marques) e Porcelana Invisível (de Fernando Paixão).

      Agradecemos a todos os autores que submeteram seus textos, além dos pareceristas internos e externos ao nosso conselho. Seguimos avante, pois a jornada segue renovada!

 

Prof. Dr. Alexandre de Melo Andrade
Profa. Ma. Cláudia Parra


2017

Capa da revista

v. 14, n. 2 (2017): Travessias Interativas Vol. 14

      Chegamos à travessia de número 14, o que corresponde a 7 anos de existência da revista. Para este número, recebemos uma quantidade imprevista de artigos: foram 102 submissões. Deste modo, nós, editores, optamos por dividir em dois números. Mesmo assim, o trabalho todo exigiu esforço do conselho editorial no que tange à leitura e emissão de pareceres. Neste sentido, agradecemos não apenas ao conselho consultivo interno, mas aos pareceristas externos que colaboraram conosco.

      Na primeira seção deste número há quatorze artigos de literatura e treze de linguística. Os sete primeiros tratam de aspectos do romance contemporâneo, passando pela obra de José Saramago, Tatiana Salem Levy, Suzana Collins, Lia Mills, José Clemente Pozenato, Luísa Geisler (todos contemporâneos) e João Guimarães Rosa. A abordagem destes ficcionistas, de forma geral, aponta para estudos de estrutura narrativa, tipologias, diálogo com a tradição, relações com a história e com os estudos culturais. Os dois artigos seguintes, ainda no território da narrativa, voltam-se para o conto, apresentando estudos acerca de Lygia Fagundes Telles e Ruth Silviano Brandão. Na sequência, há dois artigos que estabelecem relações entre literatura e cinema, partindo de um conto de Clarice Lispector e de uma peça teatral de Osman Lins. O teatro também aparece no décimo segundo artigo, que trata de Shakespeare. Já o estudo da poesia aparece nos dois artigos que fecham os estudos literários: o primeiro dedica-se a Allen Ginsberg e William Blake, e o segundo, ao poeta francês Mallarmé.

      Na sequência aparecem os artigos de estudos linguísticos. Os dois primeiros abordam questões de letramento, sendo o primeiro dedicado ao letramento acadêmico, e o segundo ao letramento no primeiro ano de ensino médio; em seguida, outros dois artigos tratam de ensino de língua materna, ora por via do gênero artigo de opinião, ora por via das relações com a prática social. Os próximos seis textos percorrem o mesmo tema: ensino de língua estrangeira, com destaque para o inglês e o espanhol. Já os três últimos tratam de metáforas, usos e variações da linguagem.

      Na segunda seção deste número aparecem os artigos que foram resultados de pesquisa de Iniciação Científica, sendo três de literatura e três de linguística. O primeiro trata de um romance da escritora argentina Marta Traba, e o segundo da presença de romances portugueses no Rio de Janeiro na segunda metade do séc. XIX. O artigo seguinte trata do drama D. João e Julieta, de Natália Correia. Na sequência, já em estudos linguísticos, aparece um artigo sobre mobilidade de gênero nos anos finais do ensino fundamental em dois municípios de Pernambuco, seguido de outro que compara o português de Luanda-Angola e o português do Brasil. O artigo que finaliza a seção realiza um estudo do aspecto perfect no Brasil.

      Três obras são resenhadas na terceira e última seção deste número: Numa hora assim escura: a paixão literária de Caio Fernando Abreu e Hilda Hilst (2016), de Paula Dip; Cossacos gentis (2015), de Leonardo Marona; e Identity and language learning: extending the conversation (2013), de Bonny Norton.

      Em virtude das novas demandas, a partir deste número estamos ampliando o conselho editorial, que passa a contar com os seguintes membros: Carlos Eduardo Japiassu de Queirós (UFS), Flávia Danielle Sordi Miranda (UNIFAL), Afonso Henrique Fávero (UFS), Wilton James Bernardo dos Santos (UFS), Clarissa Loureiro Marinho Barbosa (UPE), Álvaro Hattnher (UNESP), Renata Ferreira Costa Bonifácio (UFS), Ricardo Nascimento Abreu (UFS), Vanderlei José Zacchi (UFS), Mariana Bolfarine (UFMT), Elis Regina Fernandes Alves (UFAM-IEAA), Christina Bielinski Ramalho (UFS), Anna Patrícia Zakem China (FATEC), Paulo Ricardo Moura da Silva (IFMG/Ouro Preto), Profa. Dra. Raquel Meister Ko Freitag (UFS/São Cristóvão), Profa. Dra. Isabel Cristina Michelan de Azevedo (UFS/São Cristóvão) e Prof. Dr. Carlos Eduardo Fernandes Netto (FATEC/Ribeirão Preto). Agradecemos a todos por terem aceito nosso convite e esperamos que tal ampliação sinalize novas parcerias e novas possibilidades.

      Aos leitores, desejamos que se permitam caminhar por estas novas travessias, admirando a paisagem, colhendo os frutos das margens e ampliando suas perspectivas.

Os editores,
Alexandre de Melo Andrade - Editor-chefe
Cláudia Parra - Editora-adjunta
Leonardo Vicente Vivaldo - Editor-adjunto


1 a 3 de 3 itens