Os parasitas machadianos

Fabian Piñeyro, Jacqueline Ramos

Resumo


“O Parasita I” e “O Parasita II” são as duas crônicas de Machado de Assis traduzidas para o espanhol por Fabian Piñeyro e que foram experimentadas em um minicurso ministrado por mim na Universidad Nacional de La Plata, no Centro de Estudos Helènicos, onde desenvolvi minha pesquisa de pós doutorado, no ano de 2018, ocasião em que me dediquei ao estudo da sátira menipeia e da tradição luciânica.

A sátira menipeia constitui-se de uma longa tradição que remonta a Menipo de Gadara, filósofo cínico e escritor sarcástico e burlesco que existiu por volta da primeira metade do século III a.C. Suas obras estão todas perdidas, mas conhecemos em parte seu estilo e temas a partir de dois escritores antigos que ligam explicitamente suas obras a Menipo: Varro e Luciano, este último escreveu vários diálogos em que Menipo figura como personagem. Luciano de Samosata foi um sírio helenizado que viveu no século II d.C. e que exerceu grande influência no ocidente a partir do Renascimento em autores como Erasmo, Rabelais, Sterne, Cervantes, Swift, L. Carrol, James Joyce e o nosso Machado de Assis...

Recebido em 05/10/2018
Aprovado em 01/11/2018


Palavras-chave


O Parasita I; O Parasita II; Machado de Assis

Texto completo:

A PALO SECO N.11 (P. 48)

Referências


MACHADO DE ASSIS. Crônicas. Disponível em: <<http://machado.mec.gov.br/obra-completa-lista/itemlist/category/26-cronica>>. Acesso em: 23 nov. 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Bases indexadoras:

 

 


Licença Creative Commons Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons
Atribuição-Não Comercial-Sem Derivações 4.0 Internacional.