O habitus bíblico na construção romanesca de Graciliano Ramos

  • Cosme Rogério Ferreira Instituto Federal de Alagoas – IFAL
Palavras-chave: Bíblia, Habitus, Graciliano Ramos

Resumo

Este trabalho tem por objeto as relações dialógicas entre textos graciliânicos e textos bíblicos, investigando de que modo o estudo do livro sagrado do cristianismo influenciou a formação de um intelectual descrente, considerado um dos mais importantes escritores brasileiros. Apesar de se declarar ateu desde a juventude, é conhecida a irônica predileção de Graciliano Ramos pela leitura da Bíblia, bem como é notável a referenciação a passagens bíblicas em sua obra. Por meio de uma análise ancorada na perspectiva sociológica de Bourdieu (2003), utilizamos o conceito de habitus bíblico para nos referirmos às disposições consciente ou inconscientemente incorporadas pelo autor no processo de construção de seu monumento literário.

Referências

AUERBACH, Erich. Mimesis: a representação da realidade na cultura ocidental. Vários tradutores. São Paulo: Perspectiva, 2011.

BAKHTIN, Mikhail. A cultura popular na Idade Média e no Renascimento: o contexto da obra de François Rabelais. Trad.: Yara Frateschi Vieira. Brasília: Editora da UnB, 1987.

_______. Teoria do romance I: A estilística. Trad.: Paulo Bezerra. São Paulo: Editora 34, 2015.

_______. Notas sobre literatura, cultura e ciências humanas. Trad.: Paulo Bezerra. São Paulo: Editora 34, 2017.

BÍBLIA, A. T. Êxodo. In: BÍBLIA. Nova Bíblia Pastoral. Trad.: Luiz Gonzaga Bezerra. São Paulo: Paulus, 2014. p. 74-119.

______. Eclesiastes. In: BÍBLIA. Nova Bíblia Pastoral. Trad.: Pedro Bazzaglia. São Paulo: Paulus, 2014. p. 816-825.

BÍBLIA, N. T. Mateus. Marcos. Lucas. João. In: BÍBLIA. Nova Bíblia Pastoral. Trad.: Pedro Lima Vasconcellos. São Paulo: Paulus, 2013. p. 1177-1324.

BOURDIEU, Pierre. Razões práticas: sobre a teoria da ação. 4. ed. Campinas: Papirus, 2003.

CANDIDO, Antonio. Ficção e confissão. In: RAMOS, Graciliano. Caetés. 6. ed. São Paulo: Livraria Martins, 1961.

MORAES, Dênis de. O velho Graça: uma biografia de Graciliano Ramos. São Paulo: Boitempo, 2012.

RAMOS, Clara. Graciliano Ramos: confirmação humana de uma obra. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1979.

RAMOS, Graciliano. Angústia. 71. ed. Rio de Janeiro: Record, 2019.

_______. Caetés. 34. ed. Rio de Janeiro: Record, 2019.

_______. Cartas. 8. ed. Rio de Janeiro: Record, 2011.

_______. Infância. Rio de Janeiro: Record, 1992.

_______. Linhas tortas. 21. ed. Rio de Janeiro: Record, 2005.

_______. S. Bernardo. 5. ed. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio, 1953.

_______. Vidas secas. Rio de Janeiro: Record, 2018.

SALLA, Thiago Mio. A Bíblia Sagrada de Graciliano Ramos: a leitura e a glosa do texto religioso realizadas pelo autor de Vidas Secas. Livro, São Paulo, vol. 4, pp. 141-167, 2014.

WACQUANT, Loïc. Esclarecer o Habitus. Educação & Linguagem, n. 16, p. 63-71, jul./dez. 2007. Disponível em: <https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/EL/article/view/126/136>. Acesso em: 28 abr. 2020.

Publicado
2021-01-07
Seção
Artigos