Sobre o Fogo, de Immanuel Kant

  • Klaus Denecke Rabello Pontifícia Universidade Católica – PUC/Rio
Palavras-chave: Tradução, Kant, Sobre o Fogo

Resumo

Iná mo jubá ô ô.[1]

Fosse Immanuel Kant fluente em yorubá, utilizar-se-ia desta expressão para tratar o elemento que acompanhou toda sua obra: o fogo – na forma de Phlogiston, Wärmestoff e Feuerstoff, também equiparado por Kant ao éter, recebe menções em escritos de diferentes épocas, como o De igne, texto de 1755 aqui traduzido – o primeiro em que tal conceito aparece –, o Menschenrasse, de 1785, e um vasto material de seu Opus postumum, no qual o éter é elemento fundamental daquilo que Kant mesmo chamou de sua obra principal (Hauptwerk): a passagem entre as áreas da filosofia crítica separadas pela crítica da razão. É como o tradutor russo da dissertação De igne, Lugovoy, indica: é no De igne que Kant origina seu conceito de éter como matéria elástica do fogo, calor e luz, contendo as forças de atração e repulsão. Estas mesmas forças são o resultante na busca de Kant pela origem do universo em sua Teoria do Céu, datada do mesmo ano de 1755. Lugovoy identifica na dissertação Sobre o fogo a origem do conceito do éter, a conecta com a Monadologia física, de 1756, e aponta à hipótese do potencial heurístico do Sobre o fogo para a elucidação de proposições do Opus postumum...

 

[1] Eu saúdo o Fogo.

Referências

Guyer, P. Kant. Aparecida, SP: Idéias & Letras, 2009.

KANT, I. Vorkritische Schriften bis 1768 – Teil 1. Frankfurt am Main: Suhrkamp Verlag, 1977.

_______. Vorkritische Schriften bis 1768 – Teil 2. Frankfurt am Main: Suhrkamp Verlag, 1977.

_______. Kant - Werke. © Karsten Worm - InfoSoftWare 2007. Basis-Ausgabe: Akad. (1905ff.)

_______. De igne. https://korpora.zim.uni-duisburg-essen.de/kant/aa01 [acessado 07.12.2020].

LUGOVOY, S. V. On fire. Dissertation for the master´s degree. Translation from the latin into russian. Kantian Journal, 2019, vol.38, no.2, p. 73-95.

ØRSTED, H. C. Der Geist in der Natur. Miami: HardPress, 2019.

_______. Über die Architektonik der Naturmetaphysik. Google Books, 1820.

SHANAHAN, T. Kant, Naturphilosophie and Oersted´s discovery of electromagnetism: a reassessment. Stud. Hist. Phil. Sci., Vol. 20, No. 3, pp. 287-305, Pergamon Press: 1989.

VAIHINGER, H. Pessimusmus und Optimismus vom kantschen Standpunkt aus. in Archiv für Rechts- und Wirtschaftsphilosophie, Vol. 17, No. 3 (19233/24), pp. 161-188 JSTOR https://www.jstor.org/stable/23685299?seq=1.

Publicado
2021-01-07
Seção
Traduções