<strong>O LATIM NA LITERATURA BRASILEIRA: ENFEITAR, IMPRESSIONAR, RIDICULARIZAR</strong>

  • José Amarante Santos Sobrinho Letras/UFBA

Resumo

Decorrente das atividades de pesquisa desenvolvidas a partir do projeto Em busca de fontes para uma história social do latim no Brasil, este artigo apresenta algumas discussões em torno dos usos do latim na literatura brasileira, principalmente, e das representações, muitas vezes em tom cômico, que esses usos estabelecem. Assim, em algumas cenas, passeamos por momentos e por autores de nossa literatura, em especial por obras de Gregório de Matos e de Machado de Assis, observando que, muitas vezes, os usos do latim em nossas terras e em nossa literatura terminam por funcionar como formas de enfeitar, impressionar ou ridicularizar.

Referências

A SEMANA. Periódico. Anno I. Nºs 1 a 10. Director Valentin Magalhães. Rio de Janeiro, 1885.

AIRES, Mathias. A vaidade dos homens ou Discursos morais sobre os efeitos da Vaidade. Lisboa: Typografia Rollandiana, 1778.

BARROS, João de. Gramática da língua portuguesa. Cartinha, gramática, diálogo em louvor da nossa linguagem e diálogo da viciosa vergonha. (ed. M.L.C. Buescu) Lisboa: Fac. de Letras da Univ. de Lisboa, 1971. Transcrição Z.O.N. Carneiro (PROHPOR). Corpus Histórico do Português Tycho Brahe. Versão Editada (a partir de texto-fonte com ortografia original)

BERNAL, Sílvio Wesley Rezende. O uso e as representações do latim na obra de Gregório de Matos. Trabalho apresentado no Seminário Estudantil de Pesquisa em Letras. Salvador: UFBA/SEPESQ, 2011. Resumo disponível em: <http://www.sepesq2011.ufba.br>, na aba Anais.

BERNAL, Sílvio. Análise dos usos e influências do latim na construção dos contos e romances de Machado de Assis. In: OLIVEIRA, Raul Oliveira; AMARANTE, Jose; LAGES, Luciene (orgs.). Anais - I Encontro de Estudos Clássicos da Bahia. Salvador: UFBA, 2012. Disponível em: <http://www.classicas.ufba.br>.

BIANCARELLI, Aureliano. Arquivo revela que Zumbi sabia latim. In: Folha On-line – Histórias do Brasil, Brasil 500. Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br/fol/brasil500/zumbi_13.htm>.

BURKE, Peter. A arte da conversação. Trad. Álvaro Luiz Hattnher. São Paulo: Editora da Universidade Estadual Paulista, 1995.

CASTILLO GÓMEZ, Antonio. Historia de la cultura escrita. Ideas para el debate. In: Revista Brasileira de História da Educação. Dossiê “O Público e o Privado na Educação Brasileira”. Campinas/SP: SBHE/Autores Associados. Jan/jun 2003, nº 5. p. 108-116.

CHARTIER, Roger. Escribir las prácticas: discurso, práctica, representación. Cuadernos de trabajo nº 2. Edición de Isabel Morant Deusa. España,Valência: Fundación Cañada Blanch, 1999.

DRUMMOND, Roberto. A morte de D. J. em Paris. Rio de Janeiro: Objetiva, 2002.

FERREIRO, Camila Borges da Silva. “Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades”: leituras de um periódico do século XIX, para uma história social do latim no Brasil. Trabalho apresentado no Seminário Estudantil de Pesquisa em Letras. Salvador: UFBA/SEPESQ, 2011. Resumo disponível em: <http://www.sepesq2011.ufba.br>, na aba Anais.

FERREIRO, Camila. Para uma história social do latim. In: OLIVEIRA, Raul Oliveira; AMARANTE, Jose; LAGES, Luciene (orgs.). Anais - I Encontro de Estudos Clássicos da Bahia. Salvador: UFBA, 2012. Disponível em: <http:// www.classicas.ufba.br>.

HANSEN, João Adolfo. A Sátira e o Engenho. Gregório de Matos e a Bahia do século XVII. 2ª ed. rev. São Paulo: Ateliê Editorial; Campinas: Editora da Unicamp, 2004 [1942].

LEITÃO, Danniele. Análise das representações do saber latino nas 25 primeiras páginas com a ocorrência “sabia latim” na ferramenta de busca Google. Trabalho apresentado no Seminário Estudantil de Pesquisa em Letras. Sal- vador: UFBA/SEPESQ, 2011. Resumo disponível em: <http://www.sepesq2011.ufba.br>, na aba Anais.

LEITÃO, Danniele. Análise das representações sobre o escrever latim nas 25 primeiras páginas com a ocorrência “escrevia em latim” na ferramenta de busca do Google. Trabalho apresentado no I Encontro de Estudos Clássicos da Bahia. In: LAGES, Luciene; AMARANTE, José (Orgs.). I Encontro de Estudos Clássicos da Bahia. Livro de Re- sumos. Salvador: UFBA, 2012. Disponível em: <http://www.classicas.ufba.br>.

MACHADO DE ASSIS. Dom Casmurro. São Paulo: Ática, 1986.

MACHADO DE ASSIS. Memórias póstumas de Brás Cubas. São Paulo: Abril Cultural, 1978. MACHADO DE ASSIS. O alienista. São Paulo: Ática, 2002.

MAIA, Clarinda. A consciência da dimensão imperial da Língua na produção linguístico-gramatical portuguesa. In: BRITO, Ana Maria (org.). Gramática: história, teorias, aplicações. Porto: Universidade do Porto/Faculdade de Letras, 2010.

MELO, Dr. Francisco Manuel de Melo. A visita das fontes. Apólogo dialogal terceiro. Edição fac-similada e leitura do autógrafo (1657), introdução e comentário por Giacinto Manuppella. Coimbra: Acta Universitatis Conimbrigen- sis, 1962.

NEME, Mário. Mulher que sabe latim. Sâo Paulo: Editora Flama, 1944.

OLIVEIRA, Fernão de [1536]. Grammatica da lingoagem portuguesa. Edição crítica, semidiplomática e anastática, por A. Torres e C. Assunção. Lisboa: Academia das Ciências, 2000.

SACRAMENTO BLAKE, Augusto Victorino Alves. Diccionario Bibliographico Brazileiro. 7 v. Rio de Janeiro: Typo- graphia Nacional, 1883-1902.

Publicado
2014-12-10
Edição
Seção
Artigos