<strong>Notas sobre a narrativa de viagem na literatura grega</strong>

  • Rosana Baptista dos Santos Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri/UFVJM

Resumo

 

RESUMO
O objetivo deste artigo é analisar o tema da viagem na literatura grega. Escolheu-se, portanto, alguns textos para traçar um modelo da viagem e do viajante na tradição literária grega, a saber: Odisseia, atribuída a Homero, Paz e Aves, de Aristófanes. Essas obras exemplificam os componentes da viagem utópica, com heróis que, por motivações diversas, buscam retomar, fundar, alcançar ou apenas conhecer um local perfeito ou uma cidade fantástica, e para que isso ocorra, devem empreender uma difícil, mas compensadora jornada, à qual está prometido, com sucesso, um determinado desfecho.
PALAVRAS-CHAVE: Literatura. viagem. herói.

 

ABSTRACT
The goal of this article is to analyze the traveling theme inside the Greek Literature. Some texts were chosen to define a pattern of the traveling and the traveler inside the Greek literary tradition, namely: Odyssey, credited to Homer, Peace and The Birds from Aristophanes. These works exemplify components of an utopian trip with heroes that for different reasons seek retaking, establishing, reaching or simply getting to know a perfect place or a fantastic city, and for that to happen they must endure a difficult, yet rewarding, journey that is predicted to them with a successful outcome.
KEYWORDS: Literature. traveling. hero.

 

Referências

ARISTÓFANES. A Paz. Trad. M. F. Sousa e Silva. 2 ed. Coimbra: Instituto Nacional de Investigação Científica, 1989.

. As Aves. Trad. M. F. Sousa e Silva. Lisboa: Edições 70, 2006.

. Vespas. Trad. C. A. M. Jesus. Coimbra: Festea Tema Clássico, 2008.

ARISTÓTELES. Poética. Trad. E. Sousa. Lisboa: Gulbenkian, 1986.

BALDAROTTA, D. ll viaggio nell’Odissea e oltre… Aufidus, Roma, n. 32, 1991, 95-108.

BARBOSA, V. As ninfas: representações do feminino. Belo Horizonte: PUC Minas, 12 de dezembro de 2008. Disponível em: http://www.virtual.pucminas.br/videoconferencia/

BENJAMIN, W. Magia e técnica, arte e política. Trad. M.V. Mezzani. São Paulo: Editora Brasiliense, 1985.

BRANDÃO, J. Dicionário Mítico-Etimológico da Mitologia Grega. II. Rio de Janeiro: Vozes, 1991.

CHANTRAINE, P. Dictionnaire Étymologique de la Langue Grecque: Histoire des mots. Paris: Éditions Klincksieck.

CHEVALIER, J., GHEERBRANT, A. Trad. Vera da Costa e Silva. Dicionário dos Símbolos. Paris: Teorema, 1982.

EURÍPIDES. Hécuba. Trad. J. S. Soares. (Dissertação de Licenciatura). Coimbra: Universidade de Coimbra, 1973.

. Ifigénia em Áulide. Trad. A. A. P. Almeida e M. F. Sousa e Silva. 2 ed. Coimbra: Fundação Calouste Gul- benkian, JNICT, 1998.

FINKELBERG, M. Odysseus and the genus ‘hero’. G&R, Oxford, n. 42, 1995.

FUTRE, M. P. Aspectos formais do Romance Grego. Os Estudos Literários: (entre) ciência e Hermenêutica, Actas do I Congresso da APLC. Lisboa, 1989, p. 223-232.

HARTOG, F. Memória de Ulisses: Narrativas sobre a fronteira na Grécia antiga. Trad. Jacyntho Lins Brandão. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2004.

HOMERO. Ilíada. Trad. F. Lourenço. Lisboa: Livros Cotovia, 2005.

. Odisseia. Trad. F. Lourenço Lisboa: Livros Cotovia, 2003.

MACKIE, H. Song and storytelling: an Odyssean Perspective. TAPHA, Baltimore, n. 127, 1997, p. 77-95.

ROCHA PEREIRA, M. H. Estudos de História da cultura clássica, I. 10 ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2006.

ROMILLY, J. Thucydide. La guerre du Peloponeso. I. 10 ed. Paris: Les Belles Lettres, 1958.

SCHMIDT, J, Dicionário de Mitologia Grega e Romana. Lisboa: Edições 70, 1985.

SCOTT, M. Philos, philotes and xênia. AC, Bruxelles, n. 25, 1982. SÓFOCLES. Filoctetes. Trad. J. R. Ferreira. Coimbra: INIC, 1979.

SOUSA E SILVA, ‘Aqui’ e ‘lá’: a construção teatral da utopia em Aves. Máthesis, Viseu, n. 04, 2007, p. 84.

. Crítica do teatro na Comédia Antiga. Coimbra: Fundação Calouste Gulbenkian, reimp. 1987.

. Ensaios sobre Aristófanes. Lisboa: Edições Cotovia, 2007.

. Ensaios sobre Eurípides. Lisboa: Edições Cotovia, 2005.

THIERCY, P. Aristophane fiction et dramaturgie. Paris: Les Belles Letres, 1986.

Publicado
2015-11-22
Edição
Seção
Artigos