<i>Expositio sermonum antiquorum</i>: Elucidação dos termos antigos (recortes)<br />Fabius Planciades Fulgentius/Fábio Plancíades Fulgêncio

  • Shirlei Almeida Universidade Federal da Bahia/UFBA

Resumo

De autoria de Fulgêncio – conhecido como “o mitógrafo”, um escritor latino cristão (Cartago, séculos V-VI d.C), que, apesar do considerável sucesso e influência da sua obra mitográfica durante a época medieval carolíngia (séculos IX-X), atualmente possui vida e obra obscurecidas, havendo raras edições traduzidas para as línguas modernas, a saber, nenhuma para a língua portuguesa. A obra consiste em um breve elucidário constituído de sessenta e duas palavras encontradas em obras literárias de autores da Antiguidade (Virgílio, Lucano, Plauto, Ênio Petrônio, Propércio, Apuleio, Marciano Capella,Tertuliano e outros) consideradas antigas ou obsoletas e, por isso, possivelmente, de difícil compreensão para os leitores do período medieval. A Expositio sermomum antiquorum reúne em si um diverso substrato da cultura greco-romana e da recepção da literatura clássica na visão dos primeiros cristãos da Antiguidade Tardia (Alta Idade Média), visto que segue a tendência à produção de compêndios, i. e., ao enciclopedismo que caracteriza o período, em que se produzem obras consideradas de pouca profundidade e de escassa originalidade, porém úteis ao estudo, pois permitem, de modo compreensível e assimilável, o acesso à cultura clássica (BISOGNO, 2012). Sendo assim, a obra apresenta a explicitação de nomes ligados a variados temas, como costumes funerários antigos, sacrifícios, elementos do folclore, descrição de objetos e de elementos da vida cotidiana, ou seja, comentários explicativos sempre baseados em citações ilustrativas de obras de autores gregos e latinos, de autores cujas obras chegaram até nós e de autores dos que só se tem notícia através de Fulgêncio. Como forma de ilustração da configuração estrutural e temática da Expositio, selecionamos e apresentamos os seguintes excertos em latim e em tradução para o português:
Publicado
2015-12-01
Edição
Seção
Traduções