Diversidade, diferença e contradição performativa

  • Augusta Rodrigues de Oliveira Zana Professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ) - Campus Nilópolis e Doutoranda em Teoria Psicanalítica na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em cotutela com a Universidade de Paris, Departamento de Estudos Psicanalíticos UFR IHSS
  • Simone Perelson Professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Programa de Pós-Graduação em Teoria Psicanalítica e Escola de Comunicação)

Resumo

Considerando que o campo político contemporâneo tem as categorias de diversidade e diferença como operadores centrais, nosso objetivo é discutir essas concepções e propor uma reflexão sobre implicações políticas a partir da noção de “contradição performativa”. Iniciaremos com contribuições de Avtar Brah sobre diferença como categoria analítica a partir de quatro possíveis conceituações: como experiência, relação social, subjetividade e identidade. Tomando a psicanálise como referencial teórico, essas formulações corresponderiam à noção de “diversidade” e à ordem da representação. Delinearemos, então, uma possível compreensão da “diferença” em psicanálise como aquilo que remete ao não representado, ao encontro com o estranho. Em seguida, discutiremos a formulação butleriana de “contradição performativa” e buscaremos estabelecer possíveis articulações com as questões da diversidade e diferença, com o intuito de interrogar possibilidades de ruptura no campo da normatividade a partir da enunciação no campo político.
Publicado
2019-12-13
Seção
Artigos: Estudos Teóricos e Ensaios