O mal-estar colonial

racismo e o sofrimento psíquico no Brasil

  • Deivison Faustino

Resumo

Com o presente paper objetivo explicitar a relevância do tema “racismo” para a abordagem da subjetividade no Brasil, em particular, e da América Latina, em geral. O desafio que se confronta aqui é o de equacionar as dimensões coloniais da sociabilidade contemporânea, seus fantasmas não elaborados e as suas implicações para a subjetividade de negros e brancos. Tomando como ponto de partida a produção intelectual de Frantz Fanon, Lélia Gonzales e György  Lukács estabeleço um diálogo aproximativo entre a sociologia e psicanálise de modo a oferecer uma análise crítica,  situada ao Sul global da sociedade capitalista, que reconheça o racismo como determinante social de sofrimento psíquico e, sobretudo, se implique na busca por dispositivos políticos, clínicos e pedagógicos que atuem no sentido de promoção de uma saúde mental em uma perspectiva antirracista.

Publicado
2021-05-13
Seção
Dossiê Rede Interamericana de Pesquisa em Psicanálise e Política