Memória e Infância

Reflexões sobre o Acolhimento Institucional

  • Matias Marchant

Resumo

No presente artigo se fará uma reflexão sobre as características dos abrigos institucionais, tendo como ponto de partida a nossa experiência de trabalho com crianças acolhidas institucionalmente no sistema de proteção chileno, bem como se discute sobre as razões pelas quais a institucionalização prolongada tem efeitos negativos sobre todas as áreas de desenvolvimento de uma criança. Deste modo, propõe-se mostrar que, do ponto de vista psicanalítico, a história subjetiva e a memória das crianças acolhidas são habitualmente arrancadas ou apagadas, processo este que está na base das violações de direitos que se produzem dentro dos centros residenciais. A proposta deste trabalho é mostrar que as crianças devem ser entendidas como sujeitos de memória, pois se compreende que tal entendimento pode ajudar a melhorar as práticas de cuidados nos alojamentos residenciais.

Publicado
2021-05-13
Seção
Dossiê Rede Interamericana de Pesquisa em Psicanálise e Política