Ciência, Verdade e Saber na Sociedade Moderna: Uma Perspectiva Psicanalítica

  • Matheus Minella Sgarioni Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Marta Regina de Leão D`Agord Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Resumo

Este artigo parte da tentativa de identificar a incidência de mecanismos de subjetivação atuantes na sociedade moderna e suas implicações para a configuração do estatuto que o saber assume na contemporaneidade. Recorrendo ao arcabouço teórico psicanalítico, buscamos traçar um panorama que situa a emergência do sujeito moderno como fruto da discursividade científica, cujos efeitos sobre o campo do saber modificam a forma com que os sujeitos relacionam-se com o conhecimento. A psicanálise, ao interrogar o sujeito a produzir um saber singular sobre seu sofrimento, insere-se numa perspectiva ética que busca resgatar o saber inconsciente do esquecimento a que a ciência o submete, rechaçando a homogeneização e a padronização da subjetividade a que este método aponta. Ao reintroduzir a dimensão inconsciente na leitura do sofrimento psíquico, o método psicanalítico leva em consideração a dependência entre sujeito e linguagem, de forma a resgatar o valor singular e enunciativo da fala.

Biografia do Autor

Matheus Minella Sgarioni, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Psicólogo, Mestre em Psicologia Social e Institucional/Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Especialista em Atendimento Clínico – Ênfase Psicanálise (UFRGS). Endereço: Avenida Nilópolis, 235/201 – CEP 90460-050 Porto Alegre – RS. E-mail: matheusminella@gmail.com


Marta Regina de Leão D`Agord, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Psicóloga, Psicanalista, Doutora em Psicologia (UFRGS). Professora e Pesquisadora Programa de Pós-graduação em Psicologia Social e Institucional Instituto de Psicologia – UFRGS – Porto Alegre (RS); Endereço: Rua Riveira 600 – CEP 90670-160 Porto Alegre – RS. E-mail: mdagord@terra.com.br

Publicado
2013-07-01
Seção
Artigos: Estudos Teóricos e Ensaios