ANÁLISE DE RELACIONAMENTOS DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO E EMPRESAS DO CLUSTER ELETROELETRÔNICO DE GARÇA/SP

  • Regina Ferreira da Rocha Faculdade de Tecnologia de Garça
  • José Paulo Alves Fusco Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho
  • Deise Deolindo Silva Faculdade de Tecnologia de Garça
Palavras-chave: Conhecimento, Cluster, Instituição de Ensino, Mapeamento

Resumo

A adoção de modelos de gestão é relevante para as sobrevivências das empresas, sendo o conhecimento a moeda valorizada por viabilizar o alcance de resultados favoráveis. As Instituições de Ensino (IEs) favorecem o desenvolvimento de conhecimento e podem contribuir para o desenvolvimento empresarial. O conceito de cluster advém do paradigma de empresas em rede, no qual cada envolvida relaciona-se com as outras nos aspectos técnicos (meios produtivos) e mercadológicos (redes de distribuição) e decidem apoiar-se mutuamente em prioridade. O objetivo deste estudo é mapear o relacionamento de empresas do Cluster Eletroeletrônico de Garça com as Instituições de Ensino para verificar a existência, ou não, de parceria entre elas. Por meio desta pesquisa é possível vislumbrar a potencialidade dos relacionamentos. Trata-se de um viés do estudo realizado sobre do mapeamento do Cluster eletroeletrônico de Garça. Quanto a metodologia partiu-se do levantamento teórico e uso do software UCINET. Percebeu-se a interação entre as partes, principalmente da empresa precursora do Cluster, fato que pode evidenciar a importância das IEs técnicas e tecnológicas para as empresas. Esta pesquisa revelou que as IEs são valorizadas pelas empresas, principalmente as de grande porte e, em especial, a precursora do cluster. Tal fato reforça a possibilidade de estreitar relacionamentos com a realização de estágios supervisionados que podem beneficiar as duas partes.

Biografia do Autor

Regina Ferreira da Rocha, Faculdade de Tecnologia de Garça
Mestre em Engenharia de Produção pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Tecnóloga em Processamento de Dados (UNESP - Bauru), licenciada pelo Instituto Americano de Lins da Igreja Metodista e pós-graduada em Sistemas de Informação pela Universidade Federal de São Carlos. É docente na Faculdade de Tecnologia de Garça, nos cursos de graduação em Análise e Desenvolvimento de Sistemas e em Gestão Empresarial.
José Paulo Alves Fusco, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho
Possui graduação em Engenharia Mecânica pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1977), mestrado em Engenharia (Engenharia de Produção) pela Universidade de São Paulo (1993), doutorado em Engenharia (Engenharia de Produção) pela Universidade de São Paulo (1996), desenvolveu projeto de pesquisa no exterior em SCM-Supply Chain Management pela UMIST School of Management (Manchester-UK, 2000), livre-docente em Logística e Cadeias de Fornecimentos pela Universidade de São Paulo (2002). Atualmente é Professor Adjunto Livre Docente da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho.
Deise Deolindo Silva, Faculdade de Tecnologia de Garça
Doutorado em Ciência da Informação na UNESP/Marília. Possui mestrado em Estatística pela Universidade Federal de São Carlos (2009), graduação em Estatística pela UNESP/Presidente Prudente (2002) e em Matemática pelo Claretiano (2011). É professora acadêmica da Faculdade de Tecnologia - Fatec/Garça e da Faculdade de Agronomia e Engenharia Florestal - Garça/SP.

Referências

AMATO NETO, J.; AMATO, R. C. F. Capital Social: contribuições e perspectivas teórico-metodológicas para a análise de redes de cooperação produtiva e aglomerações de empresas. Revista Gestão Industrial, Ponta Grossa, v. 5, n. 1, p. 18-42, 2009.

BRASIL, 2005. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Brasilia, 2005. Disponível em: <https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/70320/65.pdf>. Acesso em: 12 mar. 2018.

GRANDORI, A.; SODA, G. Inter-firm networks: antecedents, mechanisms and forms. Organization studies, v. 16, n. 2, p.1-19, 1995.

INEP. Resumo Técnico Censo da Educação Superior 2013. <http://download.inep.gov.br/download/superior/censo/2013/resumo_tecnico_censo_educacao_superior_2013.pdf>. Acesso em: 12 mar. 2018.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Fundamentos de metodologia científica. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

MINERVINI, N. O exportador. 6. ed. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2012.

NONAKA, I.; TAKEUCHI, H. Criação de conhecimento na empresa. Rio de Janeiro: Elsevier, 1997.

RIBEIRO FILHO, S. L. M. et al. O conhecimento tecnológico e estratégico em clusters: a contribuição das universidades para o sucesso competitivo. In: SIMPÓSIO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO E TECNOLOGIA, 2011, Resende,RJ. Anais... Rezende, RJ: AEBD, 2011.

ROCHA, R. F.; FUSCO, J.P.A. Mapeamento da intensidade dos relacionamentos entre empresas do cluster eletroeletrônico de Garça/SP: estudo de caso. In: SIMPÓSIO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO E TECNOLOGIA, 13., 2016, Rezende, RJ. Anais... ConCI: Conv. Ciênc. Inform., São Cristovão/SE, v. 1, n. 2, Ed. Especial, p. 83-91, maio/ago. 2018

Rezende, RJ: AEBD, 2016. Disponível em: <http://www.aedb.br/seget/arquivos/artigos16/34024415.pdf>. Acesso em: 10 out. 2016.

SIEGEL, S. Estatística não-paramêtrica. São Paulo: Mcgraw-Hill, 1975.

VALENTIM, M. (Org). Gestão, mediação e uso da informação. São Paulo: Editora UNESP; Cultura Acadêmica, 2010. 90p.

Publicado
2018-11-09