Vertentes propositivas para a mediação da informação

Palavras-chave: Acolhimento. Empoderamento. Mediação da informação. Protagonismo social. Usuário.

Resumo

A mediação da informação se caracteriza por um processo articulado da interferência realizada pelos profissionais da informação com os usuários de recursos e ambientes informacionais. Por conseguinte, os bibliotecários assumem um papel significativo para estruturar as atividades de mediação visando estabelecer prioridades na interlocução do usuário em que a noção de subjetividade individual se apresenta como característica da essência humana. Logo, a mediação da informação envolve um conjunto de ações, inclusive políticas, para determinar a amplitude da representação social do indivíduo. Assim, o presente artigo tem como propósito fundamental em ampliar as reflexões teóricas da mediação da informação pelo protagonismo social, acolhimento e empoderamento. Tais condições são entendidas como vertentes propositivas operacionalizadas como dinâmicas interativas que notabilizam o foco no desenvolvimento das capacidades de consciência social do usuário. Assim, na abordagem deste estudo a mediação da informação se desenvolve por meio de atitudes representativas para provocar mudanças que permitem ao indivíduo se empoderar por tomar consciência de seu espaço histórico e cultural na sociedade.  Portanto, os usuários de bibliotecas e sistemas de informação são assumidamente tratados como sujeito prioritário do trabalho bibliotecário frente aos desafios de mediação da informação pelas formas implícitas ou explícitas desse processo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Aparecido Rodrigues do Prado, Universidade Federal de Alagoas
Professor Assistente do Curso de Biblioteconomia, Instituto de Ciências Humanas, Comunicação e Arte da Universidade Federal de Alagoas
Dimitria Silva Vasconcelos dos Santos, Universidade Federal de Alagoas
Graduanda em Biblioteconomia

Referências

ALMEIDA JÚNIOR, Oswaldo Francisco de. Mediação da informação: ampliando o conceito de disseminação. In: VALENTIM, Marta Lígia Pomim (Org.). Gestão da informação e do conhecimento no âmbito da Ciência da Informação. São Paulo: Polis : Cultura Acadêmica, 2008. Cap. 3, p. 41-54.

ALMEIDA JÚNIOR, Oswaldo Francisco de. Mediação da informação: um conceito atualizado. In: BORTOLIN, Sueli; SANTOS NETO, João Arlindo dos; SILVA, Rovilson José. Mediação oral da informação e da leitura. Londrina: ABECIN, 2015a. Cap. 1, p. 9-32.

ALMEIDA JÚNIOR, Oswaldo Francisco de. Conservadorismo e revolução (ou reformismo) na Biblioteconomia e na Ciência da Informação. Divers@: Revista Eletrônica Interdisciplinar, Matinhos, v. 8, n. 2, p. 132-144, jul./dez. 2015b.

ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila. Protagonismo como categoria analítica em estudos de usuários da informação. In: GOMES, Henriette Ferreira; NOVO, Hildenise Ferreira (Org.). Informação e protagonismo social. Salvador: Edufba, 2017. p. 129-146.

FARIAS, Maria Giovanna Guedes. Mediação e competência em informação: proposições para a construção de um perfil de bibliotecário protagonista. Revista Ciência da Informação e Documentação, Ribeirão Preto, v. 6, n. 2, p.106-125, 03 set. 2015/fev. 2016.

FARIAS, Maria Giovanna Guedes; COSTA, Daysene de Araujo. Empoderamento e protagonismo social no setor de referência de bibliotecas universitárias. Encontros Bibli: revista eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Florianópolis, v. 22, n. 50, p. 1-14, set. 2017.

FARIAS, Maria Giovanna Guedes; VARELA, Aida Varela. A mediação da informação e o protagonismo social: experimentando a construção de um modelo em uma comunidade brasileira. Investigación Bibliotecológica, México (DF), v. 31, n. 73, p. 91-110, sept./dic., 2017.

FARIAS, Sergio Coelho Borges. A seleção, o tratamento e a difusão da informação na perspectiva do protagonismo social: um ensaio crítico. In: GOMES, Henriette Ferreira; NOVO, Hildenise Ferreira (Org.). Informação e protagonismo social. Salvador: Edufba, 2017. p. 181-188.

FIGUEIREDO, Nice Menezes de. Serviços de referência & informação. São Paulo: Polis: Associação Paulista de Bibliotecários, 1992.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 9. ed. Rio de Janeiro: Paz & Terra, 1981.

GOMES, Henriette Ferreira. Protagonismo social e mediação da informação. Logeion: Filosofia da Informação, Rio de Janeiro, v. 5, n. 2, p.10-21, mar. 2019.

GOMES, Henriette Ferreira. Mediação da informação e protagonismo social: relações com a vida ativa e ação comunicativa à luz de Hannah Arendt e Jürgen Habermas. In: GOMES, Henriette Ferreira; NOVO, Hildenise Ferreira (Org.). Informação e protagonismo social. Salvador: Edufba, 2017. p. 27-43

GOMES, Henriette Ferreira; NOVO, Hildenise Ferreira. Prefácio. In: GOMES, Henriette Ferreira; NOVO, Hildenise Ferreira (Org.). Informação e protagonismo social. Salvador: Edufba, 2017. Prefácio, p. 7-10.

KLEBA, Maria Elisabeth; WENDAUSEN, Agueda. Empoderamento: processo de fortalecimento dos sujeitos nos espaços de participação social e democratização política. Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 18, n. 4, p.733-743, 2009.

MOURA, Maria Aparecida. Narrativas culturais, protagonismo e mundo comum. In: GOMES, Henriette Ferreira; NOVO, Hildenise Ferreira (Org.). Informação e protagonismo social. Salvador: Edufba, 2017. p. 93-108.

PERROTTI, Edmir. Sobre informação e protagonismo cultural. In: GOMES, Henriette Ferreira; NOVO, Hildenise Ferreira (Org.). Informação e protagonismo social. Salvador: Edufba, 2017. p. 11-24.

SILVA, Tarciso Feijó da; ROMANO, Valéria Ferreira. Sobre o acolhimento: discurso e prática em Unidades Básicas de Saúde do município do Rio de Janeiro. Saúde Debate, Rio de Janeiro, v. 39, n. 105, p. 363-374, abr. 2015.

VERGUEIRO, Waldomiro C. S. Ética profissional versus ética social: uma abordagem sobre os mitos da Biblioteconomia. Palavra-Chave, São Paulo, v. 8, n. 2, p. 8-11, out. 1994.

Publicado
2020-06-11