Bullying e cyberbullying: um estudo em tempos de pandemia

Resumo

O objetivo deste estudo é averiguar se a situação pandémica agravou ou não as situações de bullying escolar. A metodologia utilizada foi o estudo de caso, de carácter exploratório e descritivo, onde se articularam os paradigmas quantitativo e qualitativo. Participaram neste estudo 370 alunos do 2º Ciclo do Ensino Básico (5º e 6º anos) do ano letivo 2020/2021, de dois agrupamentos de escolas do concelho de Bragança, no nordeste transmontano de Portugal continental. O instrumento de recolha de dados utilizado foi um inquérito por questionário ou survey construído no Google Forms e disponibilizado online na segunda quinzena de maio de 2021. Após a recolha e análise dos resultados verificou-se que, durante a pandemia, as situações de bullying diminuíram, embora o cyberbullying tenha aumentado ligeiramente, verificou-se uma diminuição das vítimas e correspondente diminuição das testemunhas que alteraram a sua forma de atuação perante este problema. Os resultados obtidos neste estudo servirão, após o alívio de muitas das medidas restritivas, como alavanca para incentivar as instituições educativas envolvidas neste estudo a olhar este problema como uma situação que exige a tomada de medidas para a sua minimização, para além de complementar outros estudos no contexto português ou mesmo na Península Ibérica.

Biografia do Autor

Vitor Gonçalves, Instituto Politécnico de Bragança

Professor Adjunto no Departamento de Tecnologia Educativa e Gestão da Informação da Escola Superior de Educação (ESE) do Instituto Politécnico de Bragança (IPB). Doutor em Engenharia Electrotécnica e de Computadores e Mestre em Tecnologia Multimédia pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. Licenciado em Informática de Gestão pela Universidade do Minho. Atualmente é Investigador do Centro de Investigação em Educação Básica do IPB, membro do GPITIC - Grupo de Pesquisa Interdisciplinar em Tecnologia da Informação e Comunicação, membro do GPISEC - Grupo de Pesquisas Interdisciplinares em Secretariado e coordenador do Gabinete de Relações Internacionais da ESE-IPB. A sua principal área de atuação é a informática (Tecnologia Digital Educativa) - https://www.cienciavitae.pt/A310-FFD6-55A1

Cátia Emanuela Augusto Vaz, Instituto Politécnico de Bragança

Licenciada em Educação Social pela Escola Superior de Educação de Bragança do Instituto Politécnico de Bragança, Mestre em Educação Social pela Escola Superior de Educação de Bragança do Instituto Politécnico de Bragança e Doutorada em Ciências Sociais na Universidade de Salamanca. Docente Especialmente Contratada na Escola Superior de Educação de Bragança (IPB); atua na área da formação com foco em Educação presencial e à distância, Capacitação de profissionais na área da Cidadania e da Igualdade de Género, Formação Continua, Jogos Educativos; Educação de Crianças e Jovens para a Preveção Primária do Bullying Escolar; Supervisora Técnica da Casa de Trabalho Doutor Oliveira Salazar.

Publicado
2022-07-29