A importância da competência para a cooperação na prática docente em Educação a Distância: aplicação de conceitos piagetianos

  • Eloiza da Silva Gomes Oliveira Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)
  • Marcia Souto Maior Mourão Sá Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) Professora Asociada da Faculdade de Educação da UERJ.

Resumo

O artigo aborda um dos aspectos mais importantes da Educação a Distância: a tutoria, ou docência mediada pelas tecnologias digitais. Parte do conceito de cooperação desenvolvido por Jean Piaget, que explica como uma operação intelectual pode ser compartilhada entre pessoas que têm como objetivo resolver alguma tarefa cognitiva. Se eles se envolvem na resolução, lançam para mão das habilidades intelectuais e dos esquemas de ação, para alcançar a solução do empreendimento e, desenvolvendo ações interativas, constroem conhecimento - simultaneamente coletivos e individuais. O texto apresenta, ainda, a tutoria como uma possibilidade de quebrar o limite (“constraint”) da virtualidade e atribui-lhe a importância devida: uma ação tutorial "competente" e de cooperação pode minimizar um dos riscos maiores dos cursos à distância, a evasão dos estudantes. Ilustramos o tema com o resultado de pesquisa desenvolvida através de questionário aplicado a 40 docentes 1 da Rede Pública do Estado do Rio de Janeiro sobre o tema “Docência com apoio de Tecnologias”. Selecionamos um item do questionário: “Se você fosse recomendar a um colega o uso de Tecnologias de Informação e Comunicação nas aulas, que argumentos utilizaria?”, cujos resultados apontaram para alta frequência da citação da intensificação da autonomia e da cooperação como argumentos favoráveis à inserção das tecnologias de informação e comunicação na prática docente.

Palavras-chave: Formação docente. Tutoria. Teoria Piagetiana

Biografia do Autor

Eloiza da Silva Gomes Oliveira, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)
Mestre em Psicologia Escolar e Doutora em Educação Brasileira.
Professora Associada da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), atuando no Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas e Formação Humana.
Diretora do Instituto Multidisciplinar de Formação Humana com Tecnologia (IFHT/UERJ).
Marcia Souto Maior Mourão Sá, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) Professora Asociada da Faculdade de Educação da UERJ.
Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)
Professora Asociada da Faculdade de Educação da UERJ.

Referências

ARMENGOL, M. C. Universidad sin Clases: Educación a Distancia en América Latina. Caracas: OEA – UNA – Kapelusz, 1987.

KEEGAN, D. Foundations of Distance Education. Londres: Routledge, 1991.

MACEDO, L. Ensaios Construtivistas. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1994.

MAGGIO, M. O Tutor na Educação a Distância. In: LITWIN, E. (org). Educação a Distância: Temas para o Debate de uma nova Agenda Educativa. Porto Alegre: Artes Médicas, 2001.

NEGROPONTE, N. A Vida Digital. São Paulo: Cia. das Letras, 1995.

PIAGET, J. A Epistemologia Genética. Petrópolis: Vozes, 1972.

________. Lo Posible, lo Imposible, lo Necesario. In: Arquivos de Psicologia, Vol. 1. Buenos Aires, 1976.

RENNER, W. Post-fordist visions and technological solutions: educational technology and the labour process. Distance Education. Vol 16, n. 2, 1995.

RINAUDO, M. C.; CHIECHER, A.; DONOLO, D. Las Listas de Distribución como Espacios de Interacción entre Tutores y Alumnos. RED – Revista de Educación a Distancia, N. 6, p. 1-33, 2002.

SANCHO GIL, T. Aproximación a nuevos Enfoques, Estudios y Perspectivas de Evaluación. In: Enfoques sobre Evaluación de las Aprendizajes en Educación a Distancia. México: Guadalajara Ed., 1995.

ZAPATA ROS, M. En Busca de la Clase Virtual. La Educación en la Sociedad de la Información. In: Temas de Educación de Paidós. Buenos Aires, 1997.

Publicado
2015-12-31
Seção
Seminário Nacional do EDaPECI: "Educação Digital na Contemporaneidade"