Revista EDaPECI https://seer.ufs.br/index.php/edapeci <p><strong>Escopo</strong>: A <strong>Revista Educação a Distância e Práticas Educativas Comunicacionais e Interculturais</strong> (EDaPECI) é um periódico quadrimestral, apoiado por organismos de ensino e pesquisa das Universidades Federais de Sergipe (UFS) e de Alagoas (UFAL). A EDaPECI tem como objetivo a divulgação científica nas temáticas apresentadas em seu título. Neste espaço, a educação é o eixo transversal para discutir, divulgar, apontar soluções ou, até mesmo, questionar assuntos relativos às modalidades de educação presencial e a distância, educação e comunicação, formação de professores, informática na educação, inclusão e interculturalismo.<br><strong>ISSN</strong>: 2176-171X</p> Universidade Federal de Sergipe pt-BR Revista EDaPECI 2176-171X Expediente https://seer.ufs.br/index.php/edapeci/article/view/18355 <p>Expediente</p> Rosimeri Ferraz Sabino Copyright (c) 2022 Revista EDaPECI http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-11-21 2022-11-21 22 3 1 3 Editorial https://seer.ufs.br/index.php/edapeci/article/view/18354 <p>Editorial</p> Rosimeri Ferraz Sabino Copyright (c) 2022 Revista EDaPECI http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-11-21 2022-11-21 22 3 4 5 As TDIC na BNCC do ensino de ciências humanas e sociais aplicadas no ensino médio https://seer.ufs.br/index.php/edapeci/article/view/17846 <p>As tecnologias têm cada vez mais impactado a vida das pessoas em suas relações sociais e no acesso à informação e comunicação, podemos apontar que essa cultura digital edita diretamente o funcionamento, a estrutura, a didática e o currículo das instituições escolares. Tendo esse cenário como ponto de partida, este artigo tem como objetivo compreender como a Base Nacional Comum Curricular – BNCC (BRASIL, 2018) define e sugere o uso das TDIC nas aulas de Ciências Humanas e Sociais Aplicadas no Ensino Médio. Assim, elevamos como hipótese que a BNCC sugere pensar e utilizar as TDIC não só como ferramentas que auxiliam no processo formal de educação, mas que ressalta a importância de analisar de forma crítico-reflexiva essas ferramentas. A partir do nosso estudo, que se deu a partir de uma óptica dialética e configurando uma pesquisa documental, vemos que o documento orientador nacional apresenta uma ligação direta entre TDIC, competências e habilidades, contudo no campo das ciências humanas e sociais o mesmo documento não apresenta de forma sólida como os componentes curriculares da citada área podem discutir e produzir TDIC enquanto ferramenta para além da comunicação e da linguagem digital, mas como uma ação crítica, reflexiva e essencialmente cultural.</p> João Daniel de Lima Simeão Maria das Graças de Oliveira Pereira Copyright (c) 2022 Revista EDaPECI http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-12-01 2022-12-01 22 3 6 18 10.29276/redapeci.2022.22.317846.6-18 Conditioning factors in the remote learning context in higher education https://seer.ufs.br/index.php/edapeci/article/view/18349 <p><em>Com o cenário epidemiológico produzido pela pandemia COVID-19, as tecnologias da informação aumentaram a sua importância na educação e se tornaram ainda mais significativas, obrigando a ajustes imprevistos e fundamentais na organização do trabalho. Para garantir que os alunos continuem aprendendo, esses desenvolvimentos nas instituições de ensino têm levado ao uso crescente da aprendizagem remota. Este estudo investiga os fatores que facilitam ou condicionam a percepção dos alunos sobre a sua eficácia percebida e desenvolvimento de soft skills</em> <em>num ambiente de aprendizagem remota durante o segundo bloqueio COVID-19, em Portugal. Entre 1 e 15 de março de 2021, 258 alunos (ensino superior) que estavam matriculados em aprendizagem remota responderam a um questionário transversal baseada na web. Os resultados da análise de regressão revelaram diversos fatores condicionantes para esta modalidade de aprendizagem que podem impactar na eficácia e no desenvolvimento de competências dos alunos: questões tecnológicas, condições de aprendizagem (por exemplo, autonomia, materiais de estudo) e desmotivação foram fatores significativos. Dadas as gerações atuais e futuras de estudantes, os resultados deste estudo fornecem pistas para que gestores e professores de estabelecimentos de ensino superior desenvolvam estratégias digitais para proporcionar ambientes de aprendizagem inovadores, atraentes e motivadoras.</em></p> Mário Lousã Eva Copyright (c) 2022 Revista EDaPECI http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-12-01 2022-12-01 22 3 19 31 10.29276/redapeci.2022.22.318349.19-31 From principles to practice: an oline learning experience on designing at brazilian university https://seer.ufs.br/index.php/edapeci/article/view/17749 <p>O vírus da Síndrome Respiratória Aguda Grave Coronavírus 2 (SARS-CoV-2) afetou o ano de 2020 causando a migração dos currículos educacionais desenvolvidos na modalidade presencial para Educação Remota Emergencial (ERE). Durante 2020, o curso de pós-graduação "EDM 5188 - Preparação Pedagógica PAE: mediação pedagógica" ministrado em uma universidade pública do Estado de São Paulo (Brasil), em dois períodos em 2020: 22 de junho a 31 de julho; 3 de setembro a 14 de outubro, para cerca de 260 alunos de pós-graduação. O curso teve como objetivo contribuir para a melhoria da formação de pós-graduandos com foco na docência no ensino superior a distância, apoiado em ferramentas digitais de informação e comunicação que possibilitem a mediação pedagógica. Este trabalho, portanto, tem como objetivo apresentar o projeto pedagógico do curso desenvolvido, bem como a experiência de utilização de metodologias e pedagogias voltadas à educação a distância no ensino superior. A base para o desenvolvimento deste artigo são os dados coletados junto aos estudantes das duas ofertas, bem como a própria metodologia adotada pelos professores. Os dados coletados mostram que o curso possibilitou um crescimento na formação acadêmica dos futuros estagiários de magistério da Universidade.</p> Mônica Garbin Agnaldo Arroio Copyright (c) 2022 Revista EDaPECI http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-12-01 2022-12-01 22 3 32 46 10.29276/redapeci.2022.22.317749.32-46 Implementando quiz para aprendizagem da introdução à informática https://seer.ufs.br/index.php/edapeci/article/view/17901 <p>Este artigo embasou-se em observações realizadas com discentes, de diferentes cursos do Ensino Superior, num Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle, durante a educação <em>online</em> no período da pandemia do Covid-19, onde jogos interativos online no formato Quiz foram usados. Neste contexto, surgiu a necessidade de investigar o formato Quiz e sua efetividade, tendo em vista que se faz necessária a busca por novos caminhos para tornar a aprendizagem mais dinâmica, significativa e proveitosa. Este estudo teve como objetivo geral analisar a implementação do Quiz no processo de ensino e aprendizagem. Estabeleceu-se como objetivos específicos: desenvolver um objeto de aprendizagem no formato de Quiz; averiguar a aderência da utilização do Quiz em turmas de diferentes cursos de Ensino Superior; investigar a efetividade do Quiz no processo de ensino e aprendizagem. Aplicou-se a técnica de questionário <em>online</em> para o levantamento de dados e informações, que na sequência foram tabulados e analisados através da técnica de análise de conteúdo. Os resultados indicam que a utilização do quiz “Arena do Saber” contribui na prática de ensino do conteúdo da disciplina de Introdução à Informática, confirmando sua eficácia como recurso pedagógico que motiva a ação dos discentes e auxilia no processo de ensino e aprendizagem.</p> Marcos Antonio Gomes Xavier Bruno Lopes Xavier Ricardo Esteves Kneipp Paulo Victor Rodrigues de Carvalho Copyright (c) 2022 Revista EDaPECI http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-12-01 2022-12-01 22 3 47 62 10.29276/redapeci.2022.22.317901.47-62 Perceptions on gamification towards cybersecurity literacy: social sustainability of educative projects https://seer.ufs.br/index.php/edapeci/article/view/18247 <p>A pandemia de Covid19 estimulou tanto a discussão sobre a utilização de ferramentas de ensino relacionadas com as TI como a exposição da população estudantil a vulnerabilidades ligadas à alfabetização em matéria de cibersegurança. O estudo apresentado baseia-se no pressuposto de que o uso da gamificação como elemento ou ferramenta que promove a aprendizagem em ambientes digitais pode ser viável, e mais especificamente pode funcionar como elemento de ensino sobre questões relacionadas com a cibersegurança para estudantes, especialmente para estudantes do ensino superior. A fim de quantificar a abertura dos estudantes a tal caminho de ferramenta, foi utilizada metodologia quantitativa, e foi realizado um inquérito em duas Instituições Politécnicas (PI), obtendo uma amostra de 95 estudantes, e procurando perceções sobre os impactos positivos resultantes da criação de um cenário de jogo para uma melhor aprendizagem. A análise estatística realizada testou hipóteses relativas a representações e práticas sobre gamificação e cibersegurança. Os resultados mostram que os estudantes, independentemente do seu curso superior, compreendem claramente o que é a gamificação e os seus objectivos, e também que os estudantes adoptam boas práticas de cibersegurança de acordo com o seu curso superior. Este último resultado vai de acordo com a suposição de que a gamificação pode e deve ser utilizada na alfabetização em cibersegurança.</p> José Morais Jorge Simões Justino Lourenço Sérgio Sargo Copyright (c) 2022 Revista EDaPECI http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-12-01 2022-12-01 22 3 63 77 10.29276/redapeci.2022.22.318247.63-77 Práticas para um escola inclusiva: o papel da liderança https://seer.ufs.br/index.php/edapeci/article/view/18208 <p>O líder de topo de uma escola não agrupada ou de um agrupamento de escolas tem um papel preponderante na seleção das lideranças intermédias na Organização Escolar, e, em particular nas coordenações de educação especial. Assim, a questão de investigação que norteia o estudo é: qual a importância do papel do diretor de escola na promoção de práticas promotoras da educação inclusiva? O estudo é de natureza qualitativa recorrendo à entrevista semiestruturada como instrumento de recolha de dados. A amostra é constituída por um Líder de topo (diretor de um agrupamento de escolas) um Coordenador de Educação Inclusiva e um Coordenador de Educação Especial, todos da região centro de Portugal. Os cuidados éticos foram tidos em conta e os principais resultados relativamente à escola inclusiva para os alunos, são: em que consiste; qual a vantagem da sua atuação; os constrangimentos encontrados. A principal conclusão é que um Líder de topo, quando sensibilizado para o conceito de inclusão, é um elemento fulcral na adoção de práticas inclusivas e na preparação dos alunos pensando no seu futuro na sociedade.</p> Susana Oliveira Sá Olga Raposo Copyright (c) 2022 Revista EDaPECI http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-12-01 2022-12-01 22 3 78 92 10.29276/redapeci.2022.22.318208.78-92 Professor de Biologia Youtuber® e seu papel no ensino: reflexos no engajamento dos estudantes https://seer.ufs.br/index.php/edapeci/article/view/18226 <p>O Youtube® é a maior plataforma de vídeos conhecida no mundo atualmente e com diferentes finalidades. No contexto de ensino de Biologia, vem se destacando ao longo do tempo por meio de iniciativas de professores independentes que compartilham seus conhecimentos na plataforma. Contudo, como problemática, este estudo levanta o seguinte questionamento: como os estudantes/usuários da plataforma têm reagido às vídeoaulas destes professores? O estudo teve abordagem qualitativa com delineamento exploratório. Os participantes deste estudo foram estudantes que interagiram por meio de comentários nos canais mais conhecidos sobre Biologia no Brasil. O instrumento de coleta de dados foi a observação participante, seguida da análise do conteúdo. Como resultados, constatamos que ainda que o Youtube® auxilie em processos de ensino e aprendizagem de Biologia, por si só é insuficiente para garantir a aprendizagem de conteúdos de forma integral, uma vez que as dúvidas levantadas pelos estudantes não são esclarecidas pelos professores. Além disso, o surgimento de uma pseudociência pode ser uma ameaça para estudantes que discutem os conhecimentos biológicos em articulação com religiões, ficção científica ou entretenimento.</p> Douglas de Carvalho Amorim Luis Paulo Leopoldo Mercado Copyright (c) 2022 Revista EDaPECI http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-12-01 2022-12-01 22 3 93 105 10.29276/redapeci.2022.22.318226.93-105 Progressão da qualidade em serviços em uma IES privada: aplicação do modelo SERVPERF https://seer.ufs.br/index.php/edapeci/article/view/17843 <p>A qualidade em serviços educacionais no ensino superior tem sido tema de diversos estudos brasileiros. Com o objetivo de mensurar a Qualidade Percebida em uma IES privada no interior de Minas Gerais e comparar com estudo anterior na mesma instituição, aplicou-se a escala SERVPERF a docentes, discentes e gestores. Os resultados apontaram que a dimensão tangibilidade foi a mais mal avaliada e a dimensão presteza, a mais bem avaliada. Só houve diferença estatisticamente significante na qualidade percebida por docentes e discentes em uma variável. Na comparação entre estudos, houve progressão na qualidade percebida em 16 das 22 variáveis estudadas.</p> Gabriel Antônio Amaral da Silva Adriana dos Santos Prado Sadoyama Geraldo Sadoyama Leal Copyright (c) 2022 Revista EDaPECI http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-12-01 2022-12-01 22 3 106 120 10.29276/redapeci.2022.22.317843.106-120 Tecnologias digitais e pandemia COVID-19: desafios sentidos pelos professores da educação básica https://seer.ufs.br/index.php/edapeci/article/view/17831 <p>Neste artigo, apresentamos os resultados de um estudo que teve como principal objetivo compreender como os professores do ensino básico perspetivaram o ensino remoto de emergência, os constrangimentos sentidos e aspetos positivos salientados, tendo em conta as tecnologias adotadas para a mediação pedagógica, durante a pandemia de COVID-19. Para a recolha de dados, acautelamos os procedimentos éticos, nomeadamente, o anonimato e a participação voluntária. Participaram no estudo 377 professores, que, responderam a um inquérito por questionário, que continha itens, em escala tipo likert, sobre ensino, aprendizagem e avaliação e terminava com duas questões abertas: 1) sobre os principais constrangimentos desta modalidade de ensino e 2) principais aspetos positivos. Utilizamos o software webQDA para apoiar a análise dos dados destas questões.</p> <p>Os resultados relevam que a pandemia acelerou a urgência do digital na educação, obrigou professores e alunos a evoluírem, evidenciou as desigualdades entre os alunos com e sem computador, com e sem conectividade. Ao contemplar diferentes ritmos de aprendizagem, as tecnologias potenciam o desenvolvimento das competências ao nível das TIC; os alunos mais tímidos ou com mais dificuldades desenvolveram mais competências nesta modalidade de ensino, assim como, se verificou a melhoria do comportamento dos alunos.</p> Teresa Jesus Correia Santos Maria Palmira Alves Copyright (c) 2022 Revista EDaPECI http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-12-01 2022-12-01 22 3 121 130 10.29276/redapeci.2022.22.317831.121-130