Chamada de artigos para o Dossiê Temático "Mapeamento da Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura: contribuições históricas e perspectivas para o futuro"

2020-03-26

Revista EPTIC - Revista eletrônica internacional de Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura – www.revistaeptic.ufs.br

ULEPICC-Brasil – União Latina de Economia Política da Informação, Comunicação e Cultura – Seção Brasil – www.ulepicc.org.br

A REVISTA EPTIC, produzida pelo Observatório de Economia e Comunicação (OBSCOM) da Universidade Federal de Sergipe (UFS), informa que está aberta a chamada de artigos para o Dossiê Temático da edição de set-dez, vol. 22, n.3.

 

A edição será feita em parceria com a ULEPICC-Brasil – União Latina de Economia Política da Informação, Comunicação e Cultura – Seção Brasil, tendo como tema de seu dossiê temático: “Mapeamento da Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura: contribuições históricas e perspectivas para o futuro”.

 

Confira a ementa:

Mapeamento da Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura: contribuições históricas e perspectivas para o futuro

A Ulepicc-Brasil (capítulo Brasil da União Latina de Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura) foi criada em março de 2004, em Aracaju-SE. Seu surgimento resulta de todo um processo de estruturação dos estudos de Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura no Brasil, cujo caldo cultural latino-americano começa a ser formado ainda na década de 1960, com artigos e livros que buscavam uma análise crítica da apropriação e difusão da cultura e da Indústria Cultural no Brasil.

Considera-se como marco organizacional o livro “Mercado Brasileiro de Televisão” (BOLAÑO, 1988), dado seu objetivo de criar uma “teoria marxista da comunicação” e o desenvolvimento, no trabalho, de um eixo teórico-metodológico que influenciará outros pesquisadores na América Latina a partir de então. A década de 1990 viu a multiplicação das produções. Houve a criação de Grupos de Trabalho sobre o tema em importantes associações de pesquisa (casos da INTERCOM e da ALAIC) e a inauguração da Revista EPTIC Online, emparelhados à articulação latino-americana para a articulação da União Latina de Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura (ULEPICC), que viria a ocorrer em 2002.

Como afirmam Santos e Mota (2015, p. 70):

Seguindo a “Carta de Buenos Aires” [que serviu como base de criação da ULEPICC], mas também as bases teóricas da Economia Política da Comunicação, além de possuir uma vertente de análise crítica dos mercados comunicacionais e do espaço que necessita ser aberto para novas vozes, a ULEPICC-Br atua também de forma interdisciplinar no quesito teórico, dialogando com outras correntes, e de maneira propositiva nas instâncias da sociedade civil.

 

Muito foi feito e produzido nas últimas três décadas, consolidando a Economia Política da Informação, Comunicação e Cultura (EPICC) como espaço de debates e contribuições, inclusive intervenções políticas, por todo o Brasil. Contamos com Grupos de Trabalho em eventos acadêmicos, disciplinas e linhas de pesquisa em cursos de graduação e pós-graduação, livros e publicações em periódicos científicos, num manancial de produção de conhecimento que merece uma sistematização de seus diversos aspectos e nuances. Não obstante, sabemos também dos desafios que são impostos à produção de conhecimento no contexto atual e que se abatem, ainda com mais força, sobre um espaço associado à perspectiva crítica, neste momento de múltiplas crises que vivemos.

A proposição deste dossiê objetiva, diante desse quadro, trazer à tona a história da EPICC, bem como apontar desafios, considerando tanto as questões que permanecem fundantes do campo (situação da radiodifusão em âmbito nacional e local, por exemplo) e os novos desafios (como a conformação de toda uma estrutura de mediação social associada às tecnologias da informação e da comunicação).

Diante disso, sugerimos para este dossiê que os artigos enviados possam:

- Discutir as contribuições das investigações realizadas por grupos de pesquisa ou pesquisadores/as que identificam seu trabalho na perspectiva da EPICC;

- Identificar as características dos grupos e autores/as, observando vínculo institucional, gênero, raça, classe e outros aspectos;

- Analisar o que é apresentado em Grupos de Pesquisa/Trabalho sobre EPICC em congressos de Comunicação ou áreas próximas (casos de INTERCOM, ALAIC, IBERCOM, CONFIBERCOM, ULEPICC, Ulepicc-Brasil e IAMCR);

- Mapear projetos, pesquisas e produtos de grupos de pesquisa que trabalhem com a perspectiva da EPICC;

- Realizar balanço sobre a contribuição brasileira da pesquisa em EPICC;

- Apresentar balanço da pesquisa em EPICC em algum grupo de pesquisa, Estado, região ou país;

- Identificar especificidades dos estudos que formam a EPICC, caso das contribuições críticas nas áreas de Ciências da Informação, estudos sobre Cultura ou de Políticas Públicas de Comunicação e Cultura;

- Identificar possíveis sub-campos dentro da EPICC a partir do que é produzido, casos da Economia Política do Jornalismo, da Televisão, do Cinema, da Internet, dentre outras vertentes possíveis;

- Indicar caminhos ou perspectivas para os estudos em EPICC no Brasil.

Prazo para submissão dos artigos: até 31 de maio de 2020

Local da submissão: revistaeptic.ufs.br

Período de publicação da revista: setembro-dezembro de 2020

Coordenadores do dossiê temático: Ms. Anderson Santos (presidente da Ulepicc-Brasil/UFAL) e Dr. Manoel Dourado Bastos (diretor científico da Ulepicc-Brasil/UEL).

Referências

AZEVEDO, J. A.; SANTOS, A. D. G.; MOTA, J. S. O avanço conceitual do subcampo da Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura a partir da Revista EPTIC. Revista Comunicação Midiática, v. 11, p. 194-208, 2016.

BOLAÑO, C. R. S. Capitalismo global e crítica da Comunicação: por uma nova teoria da mediação social. Revista Comunicação Midiática, v. 11, p. 19-32, 2016.

BOLAÑO, C. R. S. Indústria Cultural, Informação e Capitalismo. São Paulo: HUCITEC, 2000.

BOLAÑO, C. R. S. Tapando el agujero negro. Para una crítica de la Economía Política de la Comunicación. CIC -Cuadernos de Información y Comunicación, v. 11, p. 47-56, 2006.

BOLAÑO, C. R. S.; BRITTOS, V. C. Economia Política de la Comunicación. Reflexiones sobre la contribución brasileña. Nostromo - Revista Crítica Latinoamerica v. 3, p. 114-120, 2010.

BOLAÑO, C. R. S.; SANTOS, V. A. Considerações teórico-metodológicas sobre a história do campo da Economia Política da Comunicação e da Cultura. Revista Brasileira de História da Mídia, v. 7, p. 52-66, 2018.

LOPES, R. S. Economia Política da Comunicação e da Cultura: aportes para a formação de um campo disciplinar. Pragmatizes – Revista Latino-americana de Estudos em Cultura, v. VI, p. 10-19, 2016.

LOPES, R. S.; SANTOS, A. D. G.; MOTA, J. S. Revista EPTIC Online: produção em EPC e interdisciplinaridade no campo comunicacional (2009-2014). Liinc em Revista, v. 11, p. 475-490, 2015.

SANTOS, A. D. G. dos; MOTA, J. S. 10 anos da ULEPICC-Br: contribuições para o desenvolvimento da EPC no Brasil. Revista EPTIC, v. 17, n. 2, maio-ago. 2015. p. 57-75.

SANTOS, V. A. Um diálogo com os Estudos Culturais, a partir da EPC. Revista EPTIC, v. 21, n. 2, p. 93-105, 2019.

SIMIS, A. Ulepicc-Brasil: uma associação científica que discute Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura. Global Media Journal – Brazilian Edition, v. 1, n. 1, p. 1-5, primavera 2009.