Desertos de notícias na produção científica brasileira: origem do conceito, contextos e aplicações no Brasil

  • Iluska Maria da Silva Coutinho Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Cézar Franco Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Sônia Virgínia Moreira

Resumo

Este artigo tem como proposta mapear os estudos que abordam o conceito de desertos de notícias, desenvolvido em 2016 pela pesquisadora Penelope Abernathy, do Centro de Inovação e Sustentabilidade de Mídia Local da Escola de Mídia e Jornalismo (Univ. Carolina do Norte, EUA). O levantamento documental foi realizado a partir dos relatórios anuais de seu Centro de Inovação e dos anais de 2017 a 2020 de Compós, Intercom e SBPJor, de forma a refletir a aplicação do conceito em produções científicas brasileiras. Os resultados preliminares apontam a pertinência do conceito e adaptações necessárias para o estudo no contexto midiático brasileiro.

Biografia do Autor

Iluska Maria da Silva Coutinho, Universidade Federal de Juiz de Fora
Professora titular da Universidade Federal de Juiz de Fora é jornalista formada pela Universidade Federal do Espírito Santo (1993), mestre em Comunicação e Cultura pela Universidade de Brasília (1999) e doutora em Comunicação Social pela Universidade Metodista de São Paulo (2003), com estágio doutoral na Columbia University (NY).
Sônia Virgínia Moreira

Doutora em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo â USP. Professora associada do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

Publicado
2022-10-07