Tratamento regulatório de plataformas digitais na América Latina e países centrais

Uma análise da imposição de taxas, tributos, obrigações de promoção da produção local e demandas por cotas de conteúdo nacional aos gigantes digitais entre 2018 e 2020.

  • Agustin Espada UNQ
  • Santiago Marino español

Resumo

A proteção da diversidade cultural, a manutenção da produção jornalística, a concentração de receitas e a deturpação das regras de funcionamento do mercado publicitário são questões de primeira ordem. Este artigo tem como objetivo analisar as diferenças na abordagem dessa agenda entre os países “centrais” e a América do Sul. Os países centrais têm estudos de impacto das ações dessas plataformas que não têm réplicas na América Latina. Enquanto os países centrais avançam em uma regulamentação tri- butária futura e têm fundos de desenvolvimento e obrigações para essas plataformas, na América Latina as respostas são reativas.

Biografia do Autor

Agustin Espada, UNQ

Director Maestría en Industrias Culturales (UNQ) en Universidad Nacional de Quilmes

Santiago Marino, español

Doctor en Ciencias Sociales, docente e investigador en la Universidad Nacional de Quilmes y De Buenos Aires. Investigador Asociado Observacom

Publicado
2021-12-21