Neoliberalismo e o movimento zapatista, entre o universal e o particular

mediações, comunicação e luta política

  • Bianca Rihan DPTD-PPGMS-UNIRIO
  • José Raphael Sette IPPUR-UFRJ

Resumo

O presente artigo busca correlacionar a universalidade do neoliberalismo, enquanto política macroeconômica para a América Latina; e a criatividade de um movimento de insurgência particular, a saber, o Movimento Zapatista, baseado no estado de Chiapas, no sudeste mexicano. O enfoque recai sobre a metodologia da teoria crítica marxista no que tange as “montagens do sistema financeiro desregulado”, seu caráter disciplinador e espoliativo, mediadas desde as formas info-comunicacionais e artísticas de resistência e rebeldia indígena, que combinam especificidades geohistóricas e culturais a referências plurais das lutas populares ao redor do mundo.

Biografia do Autor

Bianca Rihan, DPTD-PPGMS-UNIRIO

Professora adjunta do Departamento de Processos Técnicos e Documentais, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil;

Doutora em Ciência da Informação pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (PPGCI-IBICT).

José Raphael Sette, IPPUR-UFRJ

Doutorando no Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Mestre em Planejamento Urbano e Regional pelo Programa de Pós-Graduação do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional (PPGPUR-IPPUR).

joseraphaelsette@gmail.com

Publicado
2022-05-15
Seção
DOSSIÊ TEMÁTICO