Comunicação, informação e cultura: a agenda de resistências e lutas de comunidades brasileiras no exterior a partir do olhar decolonial

  • Camila Escudero Universidade Metodista de São Paulo
  • Flávio Santana Universidade Metodista de São Paulo

Resumo

Este estudo busca mostrar como o pensamento decolonial, na perspectiva da comunicação, construída a partir da realidade do Brasil e da América Latina, serve para analisar uma experiência de organização de lutas políticas alternativas de emigrantes. Para isso, propõe-se analisar como os temas comunicação, informação e cultura foram constituídos em quatro documentos que formalizam necessidades e registram propostas para melhoria de vida de emigrantes brasileiros no exterior. Os resultados apontam ideias e ações concretas que permitem visualizar que, frente a uma relação colonial, a experiência do sul contribui para uma outra realidade possível, emancipatória e renovadora.

Biografia do Autor

Camila Escudero, Universidade Metodista de São Paulo

Doutora em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Docente-pesquisadora do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade Metodista de São Paulo.

Flávio Santana, Universidade Metodista de São Paulo

Mestre em Comunicação pela Universidade Metodista de São Paulo. Professor substituto da Universidade Estadual do Piauí.

Publicado
2022-05-15
Seção
DOSSIÊ TEMÁTICO