ESTRATÉGIAS DO HIGH CONCEPT NO CINEMA BRASILEIRO: OS CASOS DE CIDADE DE DEUS E TROPA DE ELITE 2

  • Ana Maria Acker – Universidade Luterana do Brasil – ULBRA/Brasil Universidade Luterana do Brasil (ULBRA/Brasil)
  • Patricia Oliveira Iuva – Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
Palavras-chave: Cinema brasileiro. High Concept. Estética. Mercado.

Resumo

O presente texto se propõe a observar dois casos de sucesso de público na cinematografia nacional: Tropa de elite 2 (2010), de José Padilha, e Cidade de Deus (2002), de Fernando Meirelles e Kátia Lund. As produções apresentam um intervalo de oito anos e caracterizam um processo de desenvolvimento do cinema no período da pós-retomada. É discutido como se dá, nos dois filmes, o diálogo com um modelo de realização gestado na indústria norte-americana: o high concept. Os aspectos analisados são: força narrativa da ideia/ conceito, presença de atores/atrizes conhecidos, e identidade visual e estilo associados ao potencial mercadológico das obras.

Biografia do Autor

Ana Maria Acker – Universidade Luterana do Brasil – ULBRA/Brasil, Universidade Luterana do Brasil (ULBRA/Brasil)

Professora do curso de Jornalismo da Universidade Luterana do Brasil – ULBRA, doutoranda em Comu- nicação e Informação na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e mestre pelo mesmo progra- ma de pós-graduação.

Patricia Oliveira Iuva – Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Professora Assistente do curso de Cinema na Univer- sidade Federal de Santa Catarina (UFSC), doutoran- da em Comunicação e Informação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), mestra em Ciências da Comunicação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos e (Unisinos)

Publicado
2016-05-25