Brasil “mau pagador”: estratégias argumentativas na construção social da crise política, econômica e de representação do governo Dilma

  • Rejane de Oliveira Pozobon Universidade Federal de Santa Maria - UFSM
  • Adriana Domingues Garcia Universidade Federal de Santa Maria- UFSM
Palavras-chave: Construção opinativa, Representação política., Estratégias argumentativas

Resumo

Este artigo tem o objetivo de refletir sobre a construção opinativa e opositiva dentro da chamada “crise” do segundo governo da Presidente Dilma Rousseff. Tem como objeto empírico dois artigos, um do Portal Carta Maior e outro do site da Revista Veja, sobre o rebaixamento no grau de investimentos do Brasil pela agência de risco Standard & Poor’s, noticiado pela primeira vez no início de setembro de 2015. Recorre-se aos conceitos de “capital político” (BOURDIEU, 2012) e “crise da representação política” (Innerarity, 2010) para compreensão do cenário político brasileiro atual. Analisa-se quais foram as “estratégias e os recursos argumentativos” (BRETON, 1999) adotados pelos articulistas para enquadrar e reenquadrar o real, comparando, por fim, como se dá a construção argumentativa realizada pelos articulistas. As inferências evidenciam sobreposições paralelas as quais colocam em questionamento a legitimidade do processo construtivo-crítico.

Biografia do Autor

Rejane de Oliveira Pozobon, Universidade Federal de Santa Maria - UFSM

Doutora pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Professora do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade Federal de Santa Maria, RS- Brasil

Adriana Domingues Garcia, Universidade Federal de Santa Maria- UFSM

Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade Federal de Santa Maria, RS – Brasil. Bolsista CAPES

Publicado
2017-03-19
Seção
ARTIGOS E ENSAIOS