Insegurança, (re)partidarização e “fogo amigo”: a economia política da mídia na Era Lula

Fernando Lattmn Weltman, Viktor Chagas

Resumo


O objetivo deste artigo é oferecer um quadro sintético da evolução do mercado de comunicação brasileiro ao longo das Eras FHC (1995-2002) e Lula (2003-2011), observando como as mudanças advindas do processo de mobilidade social, em meio à atual revolução tecnológica, podem influenciar o consumo de diferentes produtos jornalísticos. Na investigação, a metodologia quantitativa apoia-se em uma perspectiva histórica, com dados obtidos de diferentes bases (Inter-meios, IAP, IVC) sobre o faturamento do mercado brasileiro de mídia e, mais adiante, da circulação de jornais impressos. O trabalho se propõe a avaliar estes indicadores de modo a perceber as mudanças na paisagem político-econômica dos meios de comunicação durante a Era Lula. Como resultado, a pesquisa aponta para uma crescente re-partidarização da imprensa nacional, especialmente por parte dos grandes jornais. Este movimento é decorrente do aprofundamento da crise no segmento de jornais de prestígio paralelamente à ascensão do modelo de jornalismo popular no país

Palavras-chave


economia política da mídia; mercado de comunicação; circulação de jornais; crise no jornalismo; imprensa na Era Lula.

Texto completo:

PDF