O golpe político-institucional e o desmonte da Empresa Brasil de Comunicação (EBC)

  • Ivonete da Silva Lopes Universidade Federal de Viçosa (UFV)
Palavras-chave: Comunicação pública, Golpe político-institucional, EBC

Resumo

Dois anos depois da instauração do golpe político-institucional que culminou no impedimento da presidenta Dilma Rousseff (2010–2016), o Brasil sofre com retrocessos sociais, como a redução dos direitos trabalhistas e dos serviços públicos. Nesse contexto, o governo Michel Temer aumentou o investimento feito em publicidade na mídia hegemônica, facilitou o processo para a renovação das outorgas e, na tentativa de evitar vozes dissonantes, vem precarizando a Empresa Brasil de Comunicação (EBC). Baseado em pesquisa documental, este artigo traz uma reflexão sobre o desmonte da comunicação pública brasileira, que tem sido realizado pela extinção do mecanismo de participação social, com cortes significativos no orçamento.

Biografia do Autor

Ivonete da Silva Lopes, Universidade Federal de Viçosa (UFV)
Doutora em Comunicação pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Professora na Universidade Federal de Viçosa (UFV)- Brasil
Publicado
2018-08-10
Seção
DOSSIÊ TEMÁTICO