NARRAR A SURDEZ, NARRAR A DIFERENÇA: REPRESENTAÇÕES DE PERSONAGENS SURDOS NA LITERATURA INFANTOJUVENIL

  • Paulo Roberto Tonani do Patrocínio
  • Débora Maria da Conceição Roque

Resumo

A emergência de uma definição da surdez enquanto uma diferença étnico-linguística é recente no Brasil. O presente artigo tem como objetivo analisar as representações da surdez e dos sujeitos surdos na literatura infantojuvenil à luz desta nova perspectiva de compreensão da surdez e do sujeito surdo. A partir das contribuições de pesquisadores da área de Estudos Surdos no tratamento da surdez em um modelo socioantropológico, como Carlos Skliar, Gladis Perlin e Ana Dorziat, procuramos analisar as representações de personagens surdos em duas narrativas literárias destinadas para o público infanto-juvenil: Ane e Jota: Amigos de mundos diferentes, de Luciane Rangel, e Ecopiratas em Fernando de Noronha, de Beto Junqueira.

Seção
SEÇÃO LIVRE