A IDENTIDADE CULTURAL E SOCIAL DA MULHER NEGRA EM QUARTO DE DESPEJO

  • Renata Teixeira de Castro Tobaldini
  • Maiara Cristina Segato

Resumo

Com a publicação de Quarto de Despejo, em 1960, Carolina Maria de Jesus torna-se uma das percussoras da literatura de autoria feminina negra no Brasil. Em relação à mulher negra, no cenário brasileiro, podemos encontrá-la, em um primeiro momento, sendo representada; depois, ela mesma escrevendo sobre si, na medida em que a organização política e social feminista avança, dando espaço, assim, às diversas minorias (negros, homossexuais, índios). Nesse sentido, o objetivo do presente trabalho é discutir a identidade cultural e social da mulher negra na referida obra, tomando como referência as especificidades das “escrevivências” da autora. Para tanto, este trabalho respalda-se, nos estudos sobre identidade e nas proposições da Literatura de autoria feminina e da Crítica feminista (ZOLIN, 2018), nos estudos sobre a Literatura negra (EVARISTO, 2005, 2009), bem como outras pesquisas relacionadas ao objeto.

Seção
Dossiê Temático 1: Construções identitárias na educação e na literatura